One Shot - Harry Styles

Pedido da: Talita Bahia.


Já era a terceira vez que eu ia ao banheiro lavar o meu rosto, não conseguia esquecer a discussão (que nem foi tão grande assim) da noite passada. Na verdade, já fizeram mais de vinte e quatro horas desde o acontecido, mas o meu coração estava apertado como se eu estivesse parada naquele momento.
- Ah, que se dane - digo jogando a toalha de rosto em cima da pia.
Voltei para a cama ligando a tv, já havia enchido o saco daquela sensação nojenta de aflição e reparei que nada naquela madrugada iria me satisfazer, então fui dormir.
Por algum motivo naquela manhã seguinte tudo parecia melhor, talvez por que o inverno já estivesse acabando. De qualquer modo, eu queria que ele estivesse aqui.
- Falshback On -
- Harry, para!
- Parar com o quê? Tá maluca?! - ele dizia com ironia, estava estressado com os ensaios da banda para a nova turnê e quando chegava descontava em mim.. com patadas. O pior é que já tem um tempo, e mesmo eu sendo cabeça-quente aguentei com mais paciência do que o normal.
- Para de ficar respondendo desse jeito, não sou obrigada a te aguentar! Não sou sua mãe!
- Se você quer que eu vá, eu vou! - apontou para a porta.
- Eu não disse nada disso, Harry. Te amo. Mas não quero ter que aturar isso por mais tempo. Não dá - ele revirou os olhos.
- E o que sugere que eu faça? Em? Uma mágica?
- Para Harry! Porra! Tô tentando ter uma conversa civilizada contigo e tu tá de palhaçada! - ele revirou os olhos novamente - Sai daqui! - o empurrei até a porta e a tranquei. Ainda bem que o apartamento era só meu.
- Flashback Off -
Se bem que nem foi só isso, o nosso relacionamento sempre foi conturbado pela fama. Eram boatos dele estar com outras garotas, de eu estar com outro garoto, era a distância e também sermos tão ocupados com o nosso trabalho. Era meio difícil ficarmos a sós, nos víamos entre os horários de ensaios e compromissos como entrevistas, já nas férias só quando ele acabava de visitar todos os seus parentes, ás vezes ele me levava, para darmos uma escapadinha no meio da noite. Lembro de quando esse tipo de coisa acontecia, era encantador.
Ouvi o alarme de notificação, Harry havia mandado uma mensagem.
"Podemos conversar?"
"Por que não... Espero que tenha se acalmado..."
"Não se preocupe, vem pro meu prédio"
Nem respondi. Ele podia ser bem idiota ás vezes mas eu sentia falta da sua companhia, só peguei o meu casaco e corri para o seu apartamento.
- Harry?
- Talita? Espera! - ele parecia nervoso. Então escutei o barulho de algo se quebrando - Droga!
- Harry? O que tá acontecendo aí? - ele estava na cozinha.
- Nada! Fica aí!
Andei devagar até o lugar, notando que o ambiente estava pouco iluminado. Uma mesa posta a dois... Linda! Decorada com um vaso cheio de botões de rosa vermelhas. Sorri. Olhei um pouco mais para o lado e reparei Harry ajoelhado recolhendo cacos de vidro.
- Precisa de ajuda? - segurei seu ombro. Ele sorriu torto.
- Não, valeu... Eu te pedi pra ficar na sala curiosa - ele disse e um pouco de sangue escorreu da sua mão, sinal de que havia se cortado.
- Espera. Vou buscar o kit de remédios, deixa isso aí - me referia aos cacos no chão.
Ele se levantou e encostou-se no balcão. Fiz um curativo pequeno, não era nada que preocupasse. Então procurei olhar dentro dos olhos dele, e sorrimos juntos.
- Então... Você queria conversar - ele assentiu.
- É que eu queria te pedir desculpas por ter feito aquilo contigo, te tratado daquela maneira. Eu não conseguia perceber que estava te machucando, e me machucando. Então quis preparar esse pedido de desculpas, que era pra ser uma surpresa - ele riu.
- Eu adorei Harry.
- E cozinhei também! - disse animado - Fiz aquele prato que você gosta. Chamei o Niall pra me ajudar na salada por que você me disse que adora as saladas dele. Foi de coração.
- Own, eu te amo Harry - sorri sincera, o contagiando.
- Também te amo, muito, muito, muito. Me perdoa - me abraçou e deu um gemido de dor quando me pegou pela cintura. Rimos.
- Já te perdoei.
ESPERO QUE TENHAM GOSTADO :*
PS: A PARTIR DE AGORA ESTAREI POSTANDO MEUS IMAGINES TAMBÉM NO TUMBLR
O ENDEREÇO É: THEUNKINDGIRL.TUMBLR.COM

One Shot - Harry Styles


Senti um baque no meu bumbum enquanto passava pela sala, na verdade, nem tinha reparado que o Harry estava lá e muito menos que ele havia dado um tapa no meu traseiro. Meus pais eram professores da faculdade, trabalhavam um no curso de Psicologia e outro no de Letras. Como já era noite eles estavam trabalhando, e eu estava em casa com o meu irmão intercambista.

Como eu nunca havia visitado a Inglaterra ou sequer dado uma volta num cruzeiro, nunca conheci de perto qualquer costume. Talvez fosse ignorância da minha parte, mas por um momento acreditei que o que o Styles fazia vinha de suas raízes. Ele costumava me abraçar, me beijar, dar apertões e tapas. Tudo levado para a sexualidade. E hoje, quase um ano depois de sua chegada eu corri atrás e percebi que aquilo poderia chegar a um abuso, se já não fosse, né.

O único problema era: eu gostava.

Estava exausta de tanto andar na praia hoje. Sorte que moro em frente a praia. Harry também foi, e a prova de que eu gosto do que ele faz, e até dele, é que eu fiquei com ciúmes quando ele deu em cima de outras garotas. Percebi de cara qual era o tipo dele: alta, branca, talvez loira, biquíni pequeno ou vermelho.

Cheguei em casa e fui tomar banho, notando que ele me espiava pela brecha da porta e fingi não ligar. Fui para o quarto, me troquei e desci para a cozinha, enquanto passava pela sala para chegar ao quarto, ocorreu a situação que citei inicialmente.

- Harry, dá pra parar? Por favor! Que situação chata! - revirei os olhos.

- Me desculpe. Mas eu não consigo resistir - me puxou pela cintura - estou apaixonado por você desde o primeiro mês em que cheguei. Você é tão perfeita. Tentei chamar a sua atenção, mas estava difícil. Não sabe o quanto eu tive que aguentar - me soltei e disse:

- Harry isso não se chama amor, se chama tesão - e então subi as escadas.

Tranquei a porta do quarto, já que não confiava nele. Pensei, pensei e pensei. Lembrei de alguns bons momentos e de todas as vezes que ele me "atazanou", por algum motivo eu não esqueci. Mas também não gosto dele. Talvez eu queira diversão.

Os dias seguintes se passaram e eu o ignorava, mamãe comentou que escutou ele chorando e jurou que ele sentia saudades de sua família. Então eu comecei a ter cinquenta por cento de certeza de que ele gostava de mim, os outros cinquenta por cento estavam no meu pé atrás.

Logo chegou os um ano dele no Brasil, e então meus pais nos levaram para São Paulo, para um show de uma banda de rock que nós dois curtíamos. Nesse show o clima ficou tão bom que o beijei debaixo da chuva fina, por vontade própria. O que foi esquisito. Mais tarde, não sei por que, fizemos amor no meu quarto de hotel e tudo pra mim estava as mil maravilhas.

Na noite seguinte, eu me arrumava para ir ao jantar que os meus pais reservaram. Botei um vestido bonito, uma maquiagem leve e um salto, como o Harry gostava. Sei lá, eu adorava o agradar. Sem dúvidas, perceber que eu estava apaixonada por ele não foi a maior surpresa daquela noite, Harry me pediu em namoro e os meus pais disseram que eu era mais do que lerda por que estava na cara que ele gostava de mim.

Enfim, no final dessa história eu estava deitada no colo do Harry, enquanto assistíamos a um filme de terror qualquer e ele me fazia um cafuné gostoso.

FINGE QUE GOSTOU DORIS </3

SOCORRO PRECISO MELHORAR NOS TEXTOS COM O HARRY

ESSE FICOU UM BRIOCO

TALVEZ SEJA PQ JÁ É O QUARTO TEXTO QUE ESCREVO HOJE

TÔ MORTA, GALERA. FUI

Apparently - Capítulo Quarenta e Seis - Tudo tem um jeito


- Claire On -

Meu Deus.. que dia mais chato. Eu encarava a professora de geometria com mais do que tédio expressos. O que me agoniava ainda mais era a (S/N) demonstrar sua animação, ela olhava de canto para o Niall e sorria, hora ou outra se virava para mim e perguntava se eu estava entendendo o assunto.

- Tudo muito bem - sorri de uma maneira falsa e ela riu. Aff.

Você: E então, como vão os preparativos para as provas finais? - ela disse enquanto saíamos da sala, sua mão estava entrelaçada com a do amado, que sorria como um idiota.

Claire: Péssimos, preciso de ajuda em geometria. Socorro. Aquela professora é mais entediante do que a minha avó - revirei os olhos, já eles pareciam se divertir com o meu mau-humor.

Niall: Vão querer comer o quê hoje? Eu pago!

Claire: Mas a comida é grátis...

Niall: Por isso mesmo - rimos.

Claire: Vou atrás do Zayn, ele deve estar saindo da aula de artes... Tchau! - acenaram ao longe, eu estava correndo - Zayn?

Zayn: Babe - ele disse sorrindo de canto, enquanto tirava o seu protetor de olhos. Ele adorava marcenaria e grafitagem.

Veio até mim tirando o avental amarelo e me agarrando pela cintura, me deu um beijo estalado e conversamos sobre o futuro. Nossa, que romântico... Ironia modo on, sabe?

- Harry On -

- Cassie?

Cassie: Hum? - ela respondeu ainda concentrada, entrou na escola mais cedo que o previsto e está se adaptando bem.

Harry: Ei... - eu mexia em seu cabelo solto, estava tentando fazer com que ela tirasse os olhos daquele livro - ei... - dei um beijo molhado em seu pescoço, ela nem se mexeu - aff, vou embora então.

Escutei sua gargalhada, ela rapidamente colocou sua mão na boca pois estávamos na biblioteca. Ela se levantou fechando o livro e caminhamos de mãos dadas até o refeitório. O pessoal olhava, Donna sorria sincera pra mim, embora tenhamos tido uma conversa chata.

- Flashback On -

Donna: Harry? Podemos conversar?

Harry: Claro.

Caminhamos até o corredor e me encostei na parede.

Donna: Você já deve saber que a Cassie está vindo pra cá, não sabe? - assenti - Bom, a primeira coisa que te peço é para não atrapalhar os estudos da garota. Os pais dela são muito rigorosos, mais do que aparentam, tem um futuro todo planejado pra ela e eles não curtem um cara que nem você.

Harry: Como eu? - levantei as sobrancelhas.

Donna: Sonho de consumo das meninas, comedor, tomador de porre, não liga pros estudos, etc - me olhou com tédio.

Harry: Eu ligo pros estudos sim...

Donna: Aé? E então por que nunca te vi fazendo uma lição de casa?

Harry: Sabe, Donna, você não pode chegar assim e querer mandar na minha vida. Tá com ciúmes da priminha por acaso? - ela se indignou.

Donna: Ciúmes de você nunca, você fez parte do meu passado e coisa velha eu não uso mais - o quê? - só vim tentar te alertar. Quem avisa amigo é - disse apontando o dedo na minha cara, então saiu.

- Flashback Off -

Dito e feito, fui jantar uma vez na casa dela e os pais dela desde que me viram passaram a me olhar com desdém, não permitiram nosso relacionamento e ainda me pediram para que eu me afastasse. Bom, não nos afastamos e toquei o foda-se, sei que são os pais da minha namorada.. mas não posso fazer nada se querem nos impedir de viver.

Harry: Eu te amo. Já te disse isso hoje? - beijei a ponta do seu nariz.

Cassie: Sim, príncipe.

- Cassie On -

- E o natal? Vai passar aonde? - perguntei.

Zayn: Não sei ainda - disse triste.

Claire: Amor, por que não vem passar o natal com a minha família?

Zayn: Melhor não - sorriu de canto - vocês vão ter o seu momento em família. Não quero atrapalhar isso.

Claire: Você podia passar com a sua família. Não quer encontrar sua mãe, Zayn?

Zayn: Tem muito tempo que não falo com ela. Você sabe que esse é o meu maior desejo. Não sei se mudaram de casa, de número de telefone...

Claire: Podemos encontrar Zayn - acariciei seu rosto.

Zayn: Talvez demore demais.

Claire: Você vai vir comigo, então. Não tem lugar pra ficar durante o verão, não vai pagar hotel, não tem dinheiro pra isso - ele subiu seu olhar - não, Zayn, você não vai voltar a aquela vida. Eu não deixo - cruzei os braços.

Ele veio até mim e me abraçou, começamos um beijo calmo quando ele me colocou sentada em cima da mesa de madeira da sala. Quando o clima ficou quente demais, percebi num susto:

- Podemos começar pela Donna!

ENTENDEDORAS ENTENDERÃO O POR QUE DE COMEÇAR COM A DONNA.

TÔ ESCREVENDO NO MAIÚSCULO POR QUE SIM.

FAÇAM PEDIDOS, SÓ TEM DOIS IMAGINES NA LISTA PRA EU FAZER.

DIGAM NOS COMENTS.

BEIJOOS GATONAS.