Heey!


Heey! Revivi... Nossa, quanto tempo né? Bem, espero que você não tenha se esquecido de mim. ^^ Fiquei sem entrar porque o notebook tava dando problemas, mas agora vou dar continuidade a fic. Espero que continuem lendo.. u.u

Vocês viram You and I? Perfeito. Midnight Memories? Mais ainda. What Makes you Beautiful? Pra chorar. Então, a ilustração de post é pra relembrar antigamente. Quem foi ao show? Eu não.. Alaguei meu quarto. Mas tudo bem, foi tão perfeito.

Okay, parei. Só queria avisar que estou de volta e que agora eu moro na coxa do Styles. Beijos... 

Apparently - Capítulo Trinta e Quatro - Colegial

 
- Olha, é pra você. É do Zayn.

"Diz pra (S/N) que eu terminei com a Donna e que preciso falar com ela agora. Tô aqui na frente da escola esperando ela."

Claire: É melhor você ir, eu posso atrasar a aula um pouquinho.

Teríamos essa mesma aula juntas, Claire havia repetido o ano e pagava algumas aulas das matérias que não havia passado no ano em que estudo. 

Você: Vai ser rapidinho. Ah, mas não pensa que eu não vi que você cuspiu no copo da garota não, hein?!

E segui correndo.

Você: Zayn! Me conta! - digo o segurando pelos braços.

Zayn: Hey, calma.

Você: Só tô meio elétrica. - observo-o rir. - Então, terminou com a Donna não foi?

Zayn: Sim, mas você viu a minha vaga na escola?

Você: Sim.

Zayn: E aí?

Você: Você pode entrar na escola, mas tem que fazer um pequeno teste - digo fazendo o símbolo de pouco com as mãos e uma careta. - Se você passar na média, tá dentro.

Zayn: Eu topo, não posso desistir agora que criei a coragem de criar o meu futuro. Perdi um ano da minha vida nisso, acredita? - disse observando a escola enquanto um vento frio soprava por nossos rostos.

- Harry On -

- Calma, eu já vou ver. - ela andava de um lado para o outro. - Não, não sei Zayn. Espera que eu já te retorno - olhou para o telefone e disse: o que foi Harry?

Harry: Eu só.. queria conversar. Mas eu vi que você está um pouco ocupada então me procura depois.

Você: Não, espera! O que foi?

Harry: É que.. ahn, nada!

Você: Fala!

Harry: Esquece! - digo estressado, apenas dei as costas e saí andando até o dormitório.

Estava tudo silencioso, as cortinas do quarto estavam fechadas e uma luz vinha do banheiro. Uma voz muito bonita também, deveria ser o Liam, ele sempre cantava no chuveiro quando estava feliz ou apaixonado.

Liam: Ah, é você. Tinha escutado o barulho da porta, pensava que era o Niall pegando o livro.

Harry: Que livro?

Liam: O livro da (S/N).

Harry: Ah.

Liam: O que te deu em? Toda vez que eu falo deles você fica com essa cara. - de repente começou a me olhar desconfiado - Por algum acaso.. sabe, você gosta dela?

Harry: De quem?

Liam: Da (S/N). - ele me observava enquanto vasculhava o guarda-roupas, eu tirava os meus sapatos.

Harry: Olha, eu juro que eu não sei. Sabe quando as pessoas dizem que o amor vive a beira do ódio, pois é, as vezes a gente se confunde e eu não sei se eu a amo demais ou se a presença dela só me irrita.

Liam: Aposto que é amor. Investe nisso, não tem nada a perder.

...

Harry: Então.. quer sair comigo?

Eu perguntei nervoso, ela me olhou séria e depois olhou para o chão.

Harry: Deixe de lado as circunstâncias, todo mundo já sabe que você e o Niall saem escondidos. Nada te impede de também sair comigo, sabe disso.

Ela permaneceu em silêncio, olhou nos fundos dos meus olhos e disse:

Você: Vai ser um prazer sair com você.

Sorri terno, peguei sua mão com carinho e dei um leve beijo.

Harry: Obrigada por aceitar.

- Zayn On -

- Garoto você fica nesse quarto. Pode entrar, conseguiremos um colega de quarto pra você logo, logo. Não se preocupe. - disse abrindo as janelas e guarda-roupas. - Já pode se acomodar. Parabéns e boa sorte.

Zayn: Obrigado. - sorri satisfeito e enquanto o observava sair do quarto, despejei minhas poucas coisas em cima da cama. - Legal, agora cadê o meu celular?

Tinha uma pequena mania de falar sozinho quando me era conveniente, me sentei na cama memorizando os detalhes do quarto e escutei o bater da porta.

- Zayn? Sou eu, a (S/N) - ela quase sussurrava.

Zayn: (S/N), minha princesa. - a abracei feliz e pude notar o seu sorriso, bem maior do que qualquer um que eu havia visto durante nossos longos meses de amizade. - O que foi?

Você: Harry me convidou pra sair.

Zayn: Mas você não gosta do loiro, o Niall?

Você: Sim, mas o Harry é meio especial. Gostei dele primeiro.

Zayn: Hum.

Você: Então, está gostando?

Zayn: Ainda não conheço quase nada. Estou feliz mas triste por terminar com a Donna.

Você: Não se preocupa, você está abrindo mão de uma coisa para abraçar outra maior ainda.

Zayn: Palavras bonitas, de onde tirou isso?

Você: Internet. - disse me mostrando a tela do seu celular, onde algumas páginas da sua autora favorita estavam abertas. - Vamos dar uma volta?

Zayn: Claro!

Eu apenas respondi animado, peguei em sua mão e caminhamos pela escola. Os adolescentes se agarravam em alguns cantos apertados enquanto os professores fingiam que não vinham. Eu sentia falta dessa época, só se preocupar com as notas, sem grandes responsabilidades, os pais sempre tentavam nos dar tudo.

Você: Então.. bem-vindo a Evelyn Grace Academy! - disse divertida.

As pessoas a minha volta me olhavam e sorriam, era uma pequena festa de boas vindas. Claire me olhava de canto, estava sorrindo. Algumas garotas me olhavam de um jeito malicioso, maroto.

Claire: É Zayn, bem-vindo de volta ao colegial.

Já curtiu a nossa página no facebook?
Tenho dois imagines a caminho, espero que gostem
minhas ladies :)

Imagine com Harry Styles e Niall Horan - Amor relâmpago


- Quando terminar de ler, assina e me devolve. - Paul disse.

Mais um dia de shows, cantarolava a música que tocava enquanto lia um contrato. Renovaria o meu contrato como produtora dos garotos por mais três anos, teria sempre que acompanhá-los, preparar suas músicas e agendar novos shows. Assim que o assinei Paul entra novamente pedindo permissão para a entrada de uma amiga de infância, Demi, que por coincidência nos apresentamos no mesmo programa quando éramos menores, o famoso Barney e seus amigos. Acabamos conversando muito e assistindo tudo juntas, mas infelizmente, como distração, o celular tocou..

- Alô?

- Alô? Quem é?

- É a (N/A)..

- Oi gatinha!

- Daqui a duas horas mais ou menos eu chego aí!

Estávamos na turnê pela Europa.

- Já? - perguntei surpresa, parecia que foram há poucos minutos que conversamos e ela ainda estava embarcando. - Tá bom. Quando o show acabar eu vou te buscar, pode ser?

- Claro! Até logo!

Demetria vai embora e enquanto encarava o teto, sou surpreendida por um beijo, era o Harry. Nós namorávamos há algum tempo e a minha amiga, (N/A), era louca pelo Horan, eles até já conversaram várias vezes via Skype. O beijo continuava, e cada vez ia ficando mais quente, não poderia fazer o que ele queria agora, e por sorte, Louis bate na porta e diz que já estava na hora. Só pensei: "poxa, foi tão demorado assim?".

Já no aeroporto, algumas fãs interrompiam nossa passagem pela entrada dos fundos. Foi necessário mais do que Paul para que apenas eu, Harry e Niall passássemos sem que ninguém tentasse nos arrancar a orelha. Na sala de desembarque VIP, qual o aeroporto nos disponibilizou já que lá haviam mais seguranças apostos, Harry encontrou seu amigo, Ian Somerhalder, que havia conhecido em uma festa e nos apresentou. Como haviam muitos fãs na porta, eu poderia ser a única a passar por ali, quando a abracei descontei toda a saudade de anos que sentia.

- Ai meu Deus! Nem acredito que você está aqui! - eu dizia feliz, ela apenas sorria.

Fomos caminhando calmamente enquanto ela me contava todos os detalhes da viagem, que eram poucos, dizia que pensava no loirinho a cada instante. Por já ser - pouco - conhecida, algumas garotas pediam para tirar fotos comigo, já que eu sempre estou abraçando e vivenciando os meninos. Quando voltamos a sala, o Niall correu para abraçar-lá e disse:

- Você é perfeita pessoalmente!

E eu digo brincalhona para o Harry:

- Isso ainda vai rolar alguma coisa..

A apresentei para o Harry e fomos ao apartamento em que dividíamos durante a turnê, sempre precisávamos estar juntos. Quando chegamos até o local, Louis surtou e saiu correndo até a porta, a colocou nos braços e a levou para o centro da sala enquanto ela ria assustada. Sendo que ele ainda nem a conhecia, só havia ouvido falar. Então o Liam disse alguma coisa, mas eu raramente entendo o que ele fala. Ele sempre fala muito rápido! Deveria ser alguma bronca. Então Zayn todo charmoso beija a mão da garota, e nos jogamos no sofá enquanto Harry e Louis vão fazer alguma comida. Do outro lado da sala, o Zayn mexe no celular deitado no sofá menor.

A contei como era agora minha vida em Londres e acabei não me segurando e pedindo que ela morasse comigo e que fosse minha assistente, pelo menos por enquanto que não tinha certeza do que queria e muito menos estabilidade. Eu cuidava de cinco adultos/adolescentes, eu podia. Então ela me acompanhava nas turnês. E assim que deu fomos passear um pouco por Londres, já que ela ainda era nova no lugar e satisfeitas, voltamos para o apartamento indo trocar de roupa.

...

Harry e eu dormíamos na mesma cama, enquanto Louis dormia em outra cama no mesmo quarto. Niall dormia sozinho enquanto Liam e Zayn dividiam apenas um. Como eram raros os momentos Elounor, durante nossa breve estadia em Londres, Els foi dormir com o Louis lá em casa esse dia, então Louis e Niall trocaram de quarto para deixá-los a sós.

Surpresa, soube que o Niall se ofereceu para dormir na mesma cama com ela, e envergonhada por gostar da ideia, surtou. Então dormimos eu e Harry em uma cama, e ela e Niall em outra. Ficamos apenas nós duas conversando na cama por um tempo enquanto estávamos a sós, onde eu a contei sobre a minha vida sexual com o Hazza, se ele era bom de cama, essas coisas, já que ela era meio maliciosa e gostava de saber sobre tudo e todos.

Contei como foi a nossa primeira vez e sobre algumas de suas manias. Ele sempre acariciava minha cintura e beijava meu pescoço, assim já dava para saber que ele queria amor. Ele gostava de me dominar, mas adorava quando eu ficava por cima pois dizia que eu sabia rebolar. Ele não tem pressa de tirar as roupas porquê quando tira é selvagem, "quando ficamos sozinhos em casa costumamos quebrar tudo", Louis sempre reclama disso.

Quando fomos dormir estava trovejando, por coincidência eu e ela tínhamos medo de tempestade, mesmo que ela soubesse lidar melhor com a situação. Como o Harry sabia, ele sempre dormia abraçado comigo. O Niall já roncava, e ainda com um pouco de medo a garota puxou todo o lençol para si acordando o garoto. Nisso, eu estava acordada com Harry conversando e como as camas são perto uma da outra, eu conseguia escutar o que o outro casal dizia perfeitamente. E assim, pude notar uma diferença na sua voz quando o Niall peguntou:

- Você está com medo?

- Se eu não estivesse não estaria praticamente estuprando o lençol - todos rimos de sua resposta.

Ainda em risos, a partir das sombras que o quarto produzia pude perceber que se abraçaram, me sentei para ver melhor e antes cutuquei o Harry que até então estava com o nariz no meu pescoço, quase dormindo. Assim que viu a cena deu um sorriso fofo e preguiçoso, olhando para o outro casal que se encarava e em seguida, deram um selinho demorado.

No dia seguinte ela me contou sobre tudo o que conversaram, e me gabando, digo que já sabia que iria rolar porque na semana passada Niall me disse que quando a conheceu pelo Skype passou a sonhar em beijá-la. Então levei um susto com o Harry aparecendo atrás de mim só de cueca em plena manhã, o que me fez ficar com um pouco de ciúmes já que a minha amiga estava ali, na nossa frente. Com cara de sono, me abraçou fortemente. Quando o Niall passa sorrindo dizendo "bom dia" e piscando para ela, que sorria sem graça.

Ficou meio que.. uma pequena porcaria.
Esse imagine é baseado no sonho de uma amiga, a Tatá.
Então.. bons sonhooos :)
Hanna Ashley (visite meu blog <3)

Imagine com Harry Styles - Superhero - Quinta Parte


Enquanto bebíamos notei que Harry estava no mesmo salão que nós. Para uma cidade tão grande, Londres tinha o seu mundo pequeno. Estava acompanhado de alguns amigos interesseiros e de uma garota ruiva muito bonita, que ria de um modo sem graça das coisas idiotas que ele falava, enquanto esfregava uma de suas pernas nas dele e deslizava suas mãos pelas coxas do garoto. Bebiam algo que parecia uísque, ou qualquer bebida forte para esquecer os problemas do dia de hoje.

Niall continuava falando, pouco tempo eu dizia alguma coisa e ele voltava a contar suas histórias. Mas ele nem percebia que os meus olhares estavam em outra pessoa. Algum tempo depois, lá pela minha sétima ou oitava taça eu começava a perder minhas noções. Estava com a cabeça um pouco mais pesada e com sono, Niall ficava rindo de qualquer coisa, quando seguiu meu olhar direcionado ao Harry. De início se espantou um pouco do mesmo modo que eu havia me espantado, mas ficou tranquilo e calado por efeito da bebida. Assim levantou-se indo em direção a mesa do canto do salão.



- Niall On -

Ela não parava de olhar para atrás de mim. Não sei se ela de repente se desinteressou pela conversa ou simplesmente olhava para as minhas costas enquanto escutava-me. Nunca vou entender a cabeça das mulheres. Ainda curioso, me virei e depois de pouco tempo procurando por qualquer coisa que pudesse ser, avistei Harry na mesa de um dos cantos. Dei um aceno e chamei pelo seu nome enquanto caminhava até ele, mas ele não me via. A garota ruiva me lembrava alguém, que quando eu pude chegar mais perto acabei por reconhece-la.

- Harry, Kate! Estão se divertindo? - perguntei risonho.

- Senta aqui, vamos conversar, tomar uma cervejinha.. - respondeu no mesmo tom.


Deu um beijo tímido cumprimentando Kate que sorriu em troca e me deu um abraço apertado, daqueles que as pessoas colocam a cabeça no pescoço da outra. Me aconcheguei por alguns segundos e nos separamos por uma pequena tosse falsa.

- Espero não ter interrompido alguma coisa, vou pegar a minha bolsa. - virou-se com os braços cruzados e um pequeno bico, ela ficava tão linda assim.

- Então.. que coincidência, né?

- Pois é.. - Harry virou um pequeno copo em sua boca e revirou os olhos, dando um sorriso malicioso em direção á Kate.


- Harry On -

As coisas já estavam chatas há algum tempo. Niall e sua amiga Kate estavam conversando sobre como se faz um cupcake com álcool, o que prendeu minha atenção por alguns instantes até que a (S/N) se levanta e caminha em direção ao banheiro, dá uma leve olhada até mim e segue. Imediatamente percebo o que ela quer e peço com licença sem ligar se eles vão entender que estamos indo para o banheiro, um lugar que tem o mesmo nome de onde tudo começou.


- Flashback On -

- (S/N)! Vem aqui me ajudar por favor!

- Já estou indo.

Chamei a garota nova enquanto estava no banheiro. Tinha um encontro hoje e a Taylor já havia me ligado três vezes perguntando se eu já estava pronto.

- Pode separar a minha roupa por favor, e traga uma toalha.

Poderia ser meio estranho ela me ver pelado já que ainda estávamos nos acostumando um com o outro, ela ficaria envergonhada e como seu trabalho era indispensável, eu precisaria abrir mão de algumas manias por um certo tempo.

- Aqui está!

Por algum segundo pensei que ela havia deixado a toalha na porta do banheiro como as outras faziam, abri a porta com tudo e ela me olhou envergonhada. Virou-se para o outro lado e pensei: "droga, eu sabia que eu devia ter me depilado!".

- Já que você já me viu, não vai ser mais necessário. Não é? - perguntei sem encostar na toalha, escutei sua risada sem graça e andei pelo quarto ainda nu. Alguma coisa sua me chamou atenção, e eu queria mostrar que eu gostava dela.


- Flashback Off -

Ela encostou-se em uma cabine, enquanto caminhei até a pia.

- Engraçado que nunca tem ninguém no banheiro. - disse olhando para o espelho.

- Sempre. - digo meio zonzo.

- Harry..

- Hum - digo passando as mãos pelo cabelo.

- Você me ama?

Oquê? Que pergunta é essa?

- Ahm, é que.. - olho para os lados em busca de uma solução. Ela me pegou de surpresa!

- Já entendi.

Disse isso e saiu andando, enquanto eu fiquei lá parado, no banheiro feminino, sem entender nada.


- Você On -


- Niall, Kate. Eu vou indo, tá? - digo apressada.

- Ué, mas porquê? - Niall perguntou, enquanto Kate me olhava assustada.

- Eu só quero ir pra casa. - estava quase tendo um tique nervoso.

- É melhor eu te levar, você não parece bem. - disse com a mão em meu ombro como se eu fosse só sua amiga.

- Não, me deixa. Eu quero ficar sozinha. - digo encarando friamente a Kate, que me olhava preocupada. - Desencosta Niall.

Ele tirou sua mão de mim e olhou para os seus sapatos. Suspirou baixinho e me encarou novamente dizendo:

- Pelo menos me deixa te acompanhar até lá fora.

- Tudo bem, vamos. Tchau Kate! - falei devagar, fomos caminhando em silêncio enquanto ele mesmo se encarregava de ligar para o táxi.

- Me desculpa se eu fiz alguma coisa errada.. - ele dizia ainda olhando para o chão.

Eu me mantinha constantemente em movimento, o frio era grande, até que me agarrei ao Niall o abraçando com a maior força que eu poderia conseguir. Depois de um tempo ainda sem nos mover, olho para os seus olhos que não deixavam de me encarar, puxo-o para um beijo até que o táxi chega. Ele me olha sério e eu entro no carro, indo embora pra casa.


...


- Oi? É a (S/N)? - uma voz doce falava.

- É sim, alô?

- Não sei se você se lembra de mim, mas sou eu, a Kate, amiga do Niall e do Harry. - como eu poderia esquecer?

- Sim, eu lembro. Aconteceu alguma coisa com ele?

- Não, não é nada disso. Eu queria te convidar para tomar um sorvete hoje a tarde, lá na minha loja. O que acha?

- Ahm, eu não sei. - confesso que felizmente eu havia acordado de mau humor.

- Nós vamos só conversar, por favor..

- Que horas?

- Passe a tarde, só te peço isso.

- Tudo bem, tchau. - e desliguei.

A minha barriga roncava, era dia de folga, feriado nacional, meu aniversário era daqui a dois dias e minha família nem me ligado tinha. Pensei várias vezes em passar o dia sozinha, faltar o trabalho e sair andando por aí sem nada pra fazer, sem celular, sem internet, meio desligada do mundo.

Eu e o Harry ainda não tínhamos conversado sobre nada do que aconteceu, ainda trocamos algumas palavras quando foi realmente necessário passar alguma informação. Ele me encarava, e ás vezes sorria, mas logo se mantinha sério. Sobre o Niall, comemos asinhas de frango noite passada. Mantemos uma relação normal, mas desde o último beijo as coisas não têm sido mais as mesmas.

Me arrumava vagarosamente: casaco de frio, blusa e jeans. Claro, a juba teria que estar solta. Assim que estivesse pronta, começaria minha caminhada tranquila até o endereço que a outra havia me passado por mensagem.

- Oi (S/N), tudo bem? - me cumprimentou feliz.

- Sim.

- Pensei que não viesse. - disse tirando seu avental e me dando um beijo no rosto, enquanto fiquei observando sua loja.

- Você tem um ótimo gosto.

- Obrigada - e sorriu sem graça - Quer tomar um sorvete? É de graça pra você.

- Não, valeu. Eu estou doente, um pouco gripada.

- Ah, sim. Não quer se sentar?

- Tudo bem. - falo e me sento na mesa mais próxima. - Então.. sobre o que você quer conversar?

- Na verdade, estamos esperando os meninos para um passeio.

Fiquei quieta, ela estava rindo, mas na verdade eu pouco me importava com isso. Ainda sentada, olhei para o sorvete de limão que estava na bancada e comecei a imaginar o sabor, ainda estava com fome.

- Quer? - perguntou me tirando dos pensamentos, eu deveria estar o encarando há muito tempo.

- Sim, o de limão, por favor.

- Na taça ou na casquinha?

- Taça. Costumo derramar sorvete na minha roupa. - fiz uma careta.

O tempo passa e eles finalmente chegam, o problema é que nenhum dos meus dois preferidos tiravam os olhos de mim, e eu muito menos deles.



Demorei pra caramba, fui pra Sampa,
fui pro show.
Fiz um monte de amizades, conheci gente legal.
Ain, que sonho *u*
E vocês, que foi para algum dos shows?
Hanna Ashley

Tempo...

Olá amores, como vão? Espero que bem. Então eu vim aqui dar um avisinho, primeiro de tudo é que vou ficar sem postar aqui por um tempo, mas garanto logo voltar. Estou tendo um bloquei com Try Again, mas vou tentar continuar escrevendo e assim que der posto. Ok? Obrigado amores.
Se quiserem ler algo meu por enquanto, estou com uma fic que comecei a pouco tempo no anime, mas estou muito empolgada com ele, ela se chama City Of Angels, aqui o link : City of angels.
Se gostarem comentem lá, beijos e até mais amores.

Capitulo 8 - Try Again.


Capítulo 8 - Momento errado.

Tem uma chama surgindo no meu coração, tomando conta de mim e me tirando da escuridão. Finalmente eu consigo te ver claramente, vá em frente, me traia e eu exponho os seus podres na mesa. / Rolling in the Deep  - Adele.

Seunome Voice's.

Eu havia prometido a mim mesma que contaria isso para ele hoje ainda, mas não consigo, preciso achar a hora certa. Tá, você não deve estar entendendo nada, então eu falo. Bem, então, por muito sorte -ou azar- da vida, eu descobri semana passada que estava grávida de 5 semanas. A gravidez a princípio não parecia ter vindo em bom momento, até porque quando nós "transamos" e eu engravidei, não foi uma das melhores noites da minha vida. Eu sei que deveria contar para ele agora, mas não acho que seja o momento.

-Tem certeza Seunome? Você está tão pálida -se agachou a minha frente e acariciou meu rosto com o polegar.
-Tenho sim, é só um mal estar -sorri amarelo.

Dias depois.

 Eu havia ido ao médico mais uma vez, queria ter a confirmação dessa gravidez. Agora que eu havia arrumado a confirmação, estou indo ao escritório de Harry, não dá pra esperar mais, eu vou contar.
Entrei na recepção, mas nada da Melany ali, ela é a secretária de Harry. Ouvi alguns barulhos, mas julguei ser na sala ao lado. Fui até a porta do escritório de Harry e quando ia bater ouvi um barulho estranho, um gemido. Abri a porta de vagar, deixando pouco para ver. Arregalei meus olhos com aquela cena, assim como Harry quando me viu. Melany, a secretária, aquela vaca loira, no colo dele rebolando. Apertei meus pulsos e sai quase correndo dali. Eu não acredito que isso poderia acontecer justo comigo, sou realmente muito idiota. 

-Seunome espera, não é oque você está pensando -era a voz dele.
-Harry eu vi, meu Deus como eu fui idiota esse tempo todo -eu ri irônica- Você me batia o tempo todo falando que eu te traia com o Justin, mas quem trai aqui é você. Vá em frente, me traía, mas não conte comigo quando chegar em casa, porque eu não vou estar mais lá.
-O que você quer dizer com isso? -ele arregalou mais os olhos.
-Estou dizendo que acabou nosso casamento, trate de mexer com a papelada ou eu mesma vou atrás de outro advogado. 
-Não Seunome, você não pode me deixar.
-Posso sim, já devia ter feito isso faz tempo.
-Por favor.
-Você já me machucou demais, eu cansei de você, de apanhar e agora de ser traída. Nosso amor só vai me deixar cicatrizes, por favor, não olhe mais para mim e não procure a mim, muito menos ao meu filho -falei por impulso.
-FILHO ? Você está grávida ? Por quê não me contou isso?
-Nós tivemos quase tudo, mas você estragou tudo. Eu cansei de você, cansei de tudo. Todo mundo achando que você é um, mas não passa de ladainha, chega. Todo mundo precisa saber o tipo de pessoa que você.
-Seunome pelo amor de Deus, não faça nada, você vai acabar com a minha reputação.
-Você acabou com a minha vida -disse sentindo todo o ódio que tinha guardado em mim- Você vai desejar nunca ter me conhecido seu desgraçado. 

Sai pisando fundo dali, peguei meu carro e fui o mais rápido que pude até nosso apartamento. Ele teve meus coração em suas mãos, e brincou com meus sentimentos. Isso não tem perdão. Eu tinha muitas histórias para contar para meu filho, mas agora  Fiz minhas malas numa velocidade incrível, já estava saindo de lá quando ele apareceu. Nem se quer o olhei.

-VOCÊ NÃO VAI SAIR DAQUI, ENTENDEU? -gritou como sempre fez.
-Não tenho mais medo de você -disse calma e ele me pegou pelo braço com força- Vá em enfrente, me bata, e mostre o quão cretino você é -recebi um tapa na cara em resposta.
-Você é minha Seunome, entenda. Daqui você não sai.
-Eu vou sair sim. Eu vou acabar com a sua carreira, eu quero te ver preso, entendeu? P.r.e.s.o.
-Cala boca -senti ele me empurrar me fazendo sentir minhas costas baterem na parede com força assim como minha cabeça.
-Você ainda vai pensar em mim na profundeza do seu desespero quando a polícia bater aqui, trate de construir um lar por lá, porque o que você tinha no peito você não entra mais. -passei a mão pela minha cabeça e tudo começou de novo.

....


Acordei numa cama de hospital, eu ouviu aquele aparelho que mostrava as batidas do meu coração. Me sentei ao meu lado estava Harry em uma poltrona, com uma expressão preocupada. Minha mãe e meu pai também estavam ali, porém chorando. 

-Se acalma Odete, ele irá acordar -meu pai disse- Ela vai ficar bem.
-Eu estou acordada mamãe, estou bem -disse a olhando, mas ela parecia não me ouvir.
-Ela não vai te ouvir -olhei para frente e vi uma menina toda de branco ali, que diacho é isso?- Aliás, sou Ally, seu anjo protetor.
-Que? Ta louca? -eu realmente estava assustada.
-Calma, só quero seu bem e vim te ajudar. Vou me explicar melhor, Harry te bateu de tal forma que você bateu a cabeça com muita força e agora está em coma profundo. Mas, aparentemente ele disse aos médicos e aos seus pais que você supostamente caiu da escada -deixei meu queixo cair.
-Mas e meu filho? -sentia meus olhos arderem.
-Você pode ter o perdido, não posso dizer ao certo. Porém, vamos resolver algo muito mais sério hoje. A sua escolha.
-Que escolha?
-Entre a vida e a morte.
-Como assim? 
-Venha comigo -me deu a mão e eu me levantei, mas me impressionei ao ver que estava ainda sim na cama.
-É só seu corpo querida -ela me puxou- 
-Como estou sem ele? -disse com medo.
-Aura, espírito -ela soou entendiada- Se você escolher a vida, terá que pagar as consequências.

De repente estávamos na minha casa, a que estava sendo construída na verdade, era um plano meu e de Harry. Eu estava ali no jardim, com uma roupa de casa e jogando água com a mangueira em Harry, e ele tinha uma criança em seus braços, era tão linda.

-Quem é? -me referi a criança.
-Seu futuro filho.
-Anh?
-Escute bem oque vou te dizer. Sou te anjo protetor, eu estou ao seu lado e sou aquele que nunca desacredita dos seus sonhos, sou eu que as vezes altero seu itinerário, e até atraso seus horários para evitar acidentes ou encontros desagradáveis. Sim, sou eu que falo ao seu ouvido aquelas "inspirações" que você acredita que acabou de ter como "grande ideia". Sou eu quem te causa aqueles arrepios quando você se aproxima de lugares ou situações que vão te fazer mal, e sou eu quem chora por você quando você com a sua teimosia insiste em fazer tudo ao contrário só para desafiar o mundo. Quantas noites passei á cabeceira de sua cama velando por sua saúde, cuidando de sua febre e renovando suas energias. Quantos dias eu te segurei para que você não entrasse naquele ônibus, carro e até avião? Quantas ruas escuras eu te guiei em segurança? Não sei, perdia a conta, e isso não importa. O que realmente importa, e o que me deixa triste e preocupado, é quando você assume a postura de vítima do mundo, quando você não acredita na sua capacidade de resolver os problemas, quando você aceita as situações como insolúveis, quando você para de "lutar" e simplesmente reclama de tudo e de todos, quando você desiste de ser feliz e culpa outra pessoa pela sua infelicidade, quando você deixa de sorrir e assume que não há motivos para rir, quando o mundo está repleto de coisas maravilhosas, quando se esquece até de mim, seu anjo da guarda, aquele que Deus deu a honra de auxiliar nessa missão tão difícil que é viver e progredir. Já que me deixaram falar diretamente com você, gostaria de te lembrar, que estou ao seu lado sempre, mesmo quando você acredita estar totalmente só e abandonado, até nesse momento eu estou segurando a sua mão, eu estou consolando seu coração, eu estou te olhando, e por te amar demais, fico triste com a sua tristeza, mas, como eu sei que você nasceu para brilhar, eu agradeço a Deus a oportunidade bendita de te conhecer e cuidar de você,
porque você é realmente muito especial. Seu anjo da guarda, que acredita em você ( Paulo Roberto Gaefke). Mas me escute, Harry apesar errar muito te ama, e cada momento que você esteve desacordada ele estava pensando em você, nas suas palavras. Ele se arrepende muito de tudo que fez, sabe que precisa mudar e pra isso, precisa de você e da sua ajuda. Seunome, acredite nele. Esse é o seu futuro, mas nem tudo serão rosas na sua vida. Se preferir a vida, terá muitas consequências as quais terá que arcar. Harry não irá mudar tão rapidamente, você terá que se acostumar e ensina-ló a amar. Não vai adiantar se afastar, vocês foram feitos um para o outro. Seus destinos foram traçados quando vocês nem eram planejados por seus pais ainda. Você precisa tanto dele, quanto ele de você. 
-Eu não sei se aguento mais essa vida.
-Veja isso.

De repente estavamos de novo no meu quarto de hospital, mas o único ali era Harry. Ele chorava agora. Eu estava realmente muito confusa, muito mesmo. Minha vida acabava de ter uma revira-volta, me entende? Vamos por tudo por ordem.

  1. Harry disse que pararia de me agredir, estava sendo maravilhoso comigo o tempo todo e nosso casamento parecia que dessa vez ia ser melhor.
  2. Descobri que estou grávida.
  3. Fui toda feliz contar ao meu marido, mas peguei a secretária loira e peituda dele no colo do mesmo.
  4. Nós discutimos feio de novo, no escritório e em casa.
  5. Ele me bateu de tal forma que vim parar aqui, mas o hospital deve estar ocultando o caso, porque não é possível mesmo que acreditem que eu cai da escada se no meu apartamento nem tem escada.
  6. Eu posso ter perdido o bebê.
  7. Algum tipo de ser apareceu aqui e me contou isso, e disse ser meu anjo. 
  8. Também aparentemente me mostrou meu futuro e me disse que não posso me afastar de Harry.
  9. Eu estou muito assustada.
Harry parecia que iria dizer algo, então apenas observei assim como Ally.

-Ei, você ai -ele disse olhando a minha barriga- Você está ai não é mesmo? Você não pode ir embora e deixar a mim e sua mãe, eu já a fiz muito mal, mas você tem que nascer pra ser o meu incentivo a mudar por vocês. Eu nem te conheço, sei da sua existência hoje, mas já te amo. Eu sei que eu errei feio muitas vezes, principalmente hoje. Aquilo que aconteceu no escritório foi muito errado, mas foi a única vez que eu cometi esse deslize. Sobre eu machucar a sua mãe, literalmente, eu me sinto muito mal, mas quando eu vejo já estou fora de mim. Eu sei que ela não vai querer me escutar e vai querer me deixar, mas dessa vez eu não vou fazer nada, acho que tenho que aprende a tomar vergonha na cara. Mas, eu ainda irei querer te ver. Sabe eu vou te prometer que se você ficar bem, a gente vai se divertir muito e eu prometo te fazer muito feliz. Se você for um menino, bem eu vou te ensinar a jogar futebol, mas futebol de verdade, não aquela merda americana. Eu nunca vou deixar você parecer aqueles príncipes gays que eu vejo por ai, vou te ensinar a conquistar muitas gatas, porque você tem um pai muito bem dotado... Mas se você for uma menininha, eu não vou saber brincar com você, mas eu posso te ajudar a fazer um casa de bonecas e você vai ser minha princesinha, assim eu vou te defender de todos esses garotos safados e vou cuidar de você, quando você tiver uns trinta anos eu te deixo sair e namorar. -ele riu baixo limpando as lágrimas- mas independente do que você seja, eu sempre vou te amar. Você é apenas uma pequena saliência ainda, mas é o maior presente que eu poderia ter vida. Eu sei que você vai ter meus cabelos, mas seus olhos serão azuis como de sua mãe. Eu não tenho muito jeito com crianças, mas vou aprender a te segurar delicadamente. Eu não sei se conseguirei te contar toda a verdade da minha um dia, mas eu vou tentar, só espero que você não me odeie depois disso. Eu só fiquei sabendo hoje de você, mas já estou imaginando seu sorriso com covinhas, eu vou sorrir toda vez que ver você, um ser tão pequeno que eu amo tanto. Quando você estiver com medo, poderá se deitar comigo, você vai esfregar seus pezinhos se aquecendo, enquanto você estiver dormindo eu irei te proteger e quando estiver acordado também. Eu sei que você vai ficar bem, eles ainda não precisam de você lá em cima meu amor.

Ele só havia me deixado mais confusa, ele diz que sente muito com essa cara de anjo, eu honestamente acreditei nele muitas vezes. A bíblia dia "quem muito ama, muito perdoa". Mas isso não é um conto de fadas, eu não sou um princesa, isso não é Hollywood, aqui é Londres. Eu sempre fui muito sonhadora, mas não sei oque fazer. Perdoar ou não?

-Seunome, já tem sua decisão? -disse Ally ao meu lado- Viver com consequências e disposta a tentar uma vida, ou se ir ?
-Eu quero viver, mesmo com tudo isso.
-Se escolher o orgulho, terá que aprender a lidar com a saudade, mas se escolher lidar com isso tudo, terá que ajudar Harry a ser alguém melhor, o que é pra ser, ninguém vai tirar de você -e de repente ela sumiu.

Abri meus olhos com a cabeça latejando, ali somente Harry. E de novo pensei, perdoou ou não? 

Continua......