Apparently - Capítulo Vinte e Nove - Nova garota

- No capítulo anterior - 

...

Ela lembrava que assistiu tantos filmes, inúmeras vezes, a boa moça sofria aquela transformação e todas as pessoas a olhavam indignadas, surpresas com tanta beleza. Era a hora em que, finalmente, a patinha feia virava uma cisne. E com ela, agora, foi diferente. "Mas afinal de contas, cadê a minha parte feliz da história?", pensava enquanto olhava o seu reflexo nu pelo espelho do banheiro, após uma ducha bem quente.

- Você On -

Andava pelos corredores da escola no final da tarde.


Claire e Eleanor já tinham se acertado comigo, dei qualquer desculpa esfarrapada de que não me sentia bem e elas engoliram, pelo menos a Eleanor; Zayn está namorando com a Donna; e voltei a frequentar a psicóloga, por decisão própria.

Sabe aquelas listinhas sobre sentimentos, causas e efeitos? A Dr. Karen me pediu uma, que eu estava fazendo exatamente quando o Harry chegou.

- Flashback Mode On -

Harry: (S/N)? É você? - Me virei.

Você: Oi.

Harry: UAU! - Disse ele se aproximando. - Você está linda.

Você: Obrigada - Digo sorrindo tímida. - Senta aí.

Ele se sentou e ficou me encarando, fechei o caderninho antes que visse qualquer coisa. Pedi um frappuccino(sabe lá Deus como se escreve isso) pra ele, chocolate quente pra mim, e biscoitos para nós dois.

Harry: O que você fez tanto? - Ele disse apontando para o meu cabelo.

Você: Ah, eu pintei, descolori, e fiz umas outras coisas.

Harry: Hum. - Ele deu um sorrisinho tentando mostrar interesse.

E assim depois de um longo tempo conversando, vi Niall e Eleanor entrando e sorrindo de mãos dadas no Starbucks. De início, nem percebem a nossa presença.

"Só sabe rir gritando, escandaloso", eu pensava com os punhos cerrados.

Você: Humpf. - Soltei esse gemido rancoroso sem querer, fazendo Harry ficar confuso ao olhar para trás.

Harry: O que foi? - Ele perguntou ainda não percebendo a presença dos pombinhos. Bem ás suas costas.

"Lerdo!", pensei novamente.

Você: Nada não.

Harry: Oh, Niall! - Ele disse finalmente se levantando e indo até o amigo, que estava ocupado trocando saliva com a garota. - Ei gente, calma. Tem motel aqui na rua!

Niall: Só estou curtindo a minha namorada. - Disse olhando nos olhos dela, enquanto sorria.

Harry: Venham sentar aqui comigo, a (S/N) também está. Olha ela ali. - Ele disse apontando pra mim, enquanto eu levantava o meu casaco preto um pouco acima do rosto, tentando me esconder e sair de fininho.

"Mas que droga! Você é idiota ou quê? Styles!".

Você: Ah, oi gente. - Eu disse tentando parecer o mais cínica possível, direcionando o meu olhar ao Niall. Esperando que ele entendesse e fosse embora.

Eleanor: Oi (S/N), tenho novidades pra te contar! - Ela disse se sentando na minha frente toda feliz, onde Harry sentava.

"Que ótimo".

Niall: Não Eleanor, nós temos que ir. - Ele disse suplicando.

Eleanor: Ah, Niall qual é? - Ela disse tirando as mãos dele do seu braço. - Já passamos o dia inteiro juntos.

Niall: Mas é que.. ah, você sabe. - Ele disse coçando a nuca.

Eleanor: Eu quero conversar com a minha amiga, amor! - Ela disse fazendo manha. "Tadinha".

Pra facilitar a história: depois de muita conversa, Eleanor não conseguiu me contar nada; não terminei a lista; e minha noite foi finalizada com Niall(cara de bunda) ao lado de Eleanor, junto com Harry ao meu lado.

"Encontro duplo, que maravilha".

- Flashback Mode Off -

Donna: O que você fez no cabelo? - Perguntou encostada na porta do quarto, me observando penteá-lo.

Você: Descolori e pintei. - Falei balançando a cabeça de um lado para o outro. - Californianas.

Donna: Ficou legal. - Disse dando um sorrisinho sincero.

"Okay, isso foi estranho", pensei.

Você: E o que te faz pensar nisso?

Ela não respondeu, fechou a cara e entrou no banheiro. Depois disso, apaguei e não á vi mais naquela noite.

- Narradora On -

Você: Me diz o que aconteceu Claire. - Disse sacudindo a amiga, que estava quase desmaiando. - Claire eu tô preocupada, me diz.

Claire: Não, não, não. - E começou a chorar.

Você: Não tem como eu te ajudar se você não me contar o que está acontecendo. - Disse cruzando os braços.

Claire: Só não me deixa sozinha. - E se jogou nos braços da amiga.

Você: Qualquer coisa que tenha acontecido, pode me contar. Tá bom? - A garota ficou passando as mãos nos cabelos loiros da amiga, pensando no que poderia tê-la feito ficar assim.

"Zayn?", pensou alto e claramente. Quando a garota começou a chorar ainda mais.

Você: Foi o Zayn, não foi? - Perguntou e a garota se aconchegou ainda mais no abraço, afirmando. - Tente não ficar assim, Claire. Todos nós sofremos por amor.

Disse e olhando o estado da amiga, e pensando no Niall, começou também a chorar. Reparou que estava ultimamente grosseira e sensível, isso significava uma coisa: TPM.

Louis: Mas, o que é isso?

As garotas foram pegas de surpresa, mas sabiam que corriam perigo: estavam sentadas no mesmo banco em que tempos atrás, (S/N) beijava Niall pela primeira vez. Não que ela soubesse.

Você: Louis, por favor. A gente pode conversar outra hora?

Ele não disse nada, chegou mais perto. Agachou-se e os três ficaram abraçados por um bom tempo. Poderia no momento não ter razão, mas Louis era um bom amigo.

Louis: Então, pode me explicar agora? - Pediu depois que Claire parou de chorar.

Você: Desilusões amorosas? - Perguntou e afirmou ao mesmo tempo, fazendo uma careta.

Claire: Ah, boa noite pra vocês. Fui! - Disse enxugando as suas últimas lágrimas e desaparecendo em meio aos corredores escuros.

O silêncio reinou-se ali mesmo. Louis sentou ao lado da garota e em questão de minutos, suas mãos estavam entrelaçadas discretamente.

Louis: Sabe, (S/N). O Harry é um idiota, mas eu shipparia vocês juntos. - Disse rindo.

Você: Porquê você pensa isso?

Louis: Vi vocês dois, semana passada lá no Starbucks da Villers Street(essa rua existe de verdade, e tem um Starbucks lá).

Você: Hum.

Louis: Você dá mole pra ele. - Disse empurrando a garota levemente pelos ombros.

Você: Claro que não! Você mesmo disse que ele é um idiota.

Louis: Mas vamos, eu sou o melhor amigo dele. E sei que ele "arrasta um avião" por você.

Você: Me poupe das suas brincadeiras, William.

Louis: William?

Você: É. - Respondeu soltando sua mão e cruzando os braços, fingindo manha.

Louis: Mas, como você sabe? - E ela continou calada. - Já sei, foi o Harry, não foi?

Você: E se foi ele? O que isso muda? - Perguntou com o olhar desafiador.

Louis: Nada. - Disse levantando-se. - Mas vem cá. - Puxou o braço da menina e a levou até os dormitórios masculinos.

Você: E se nos pegarem aqui?

Louis: Fala baixo, guria. Quer acordar todo mundo?

Disse destrancando o seu quarto e puxando a garota rapidamente.

Você: O que a gente veio fazer aqui?

Louis: Espera! - Disse sem paciência.

Você: Mas e os meninos?

Louis: O Niall está com a Eleanor, e o Harry está vadiando.

Então ela se sentou e ficou observando o quarto, enquanto Louis procurava alguma coisa na estante.

Você: Filme? - E ele respondeu, "Uhum". - Terror não, tá?

Louis: Poxa, só porquê eu tava procurando Poltergeist.

Você: Oh, não Louis!

Louis: Qual é, não vai me dizer que tem medo?!

Você: O problema não é assistir, é na hora de dormir. Isso sempre me causou pesadelos! - Disse começando a se estremecer, ela odiava isso.

Louis: Tá bom, tá bom. Garotinha! - Nunca foi de ligar para isso, mas dessa vez, ela se estressou.

Você: Tchau! - Disse recolhendo o seu casaco do chão e procurando as chaves do seu quarto.

Louis: Ei, (S/N)! Aonde pensa que vai?

Você: Embora daqui. - Respondeu abrindo a porta.

Louis: Não, calma. Essa não era a minha intenção. - Disse segurando a mão da garota. - Por favor, fica.

...

Depois de um longo tempo, decidiram que filme assistir. Escolheram Frozen, e se enrolaram juntos numa mesma coberta.

"Ele está próximo demais", pensou enquanto estavam abraçados.

Louis: Algum problema? - Perguntou sorrindo, a garota negou com a cabeça.

"Porquê ele tem que ser irresistível?", perguntou á si mesma. Observando o garoto.

"Porquê ela tem que ser tão linda?", pensou ele.

Olhou para ela, que ao mesmo tempo o olhou. E em uma cena emocionante, (S/N) se aproximou e selou os seus lábios. Num beijo doce e calmo.

"Estou beijando o meu amigo, meu Deus!" e "Nossa, como ele beija bem", pensou feliz e confusa.

Nunca pensou que fosse beijar alguém como Louis, um garoto agitado e divertido. Enquanto ela, fã da mesmice, gostava de ficar trancada no quarto lendo um bom livro. "Nunca pensei que ele fosse tão atraente", pensou novamente.

Terminando o beijo, os dois abriram os olhos calmamente e cada um encontrou no outro, mesmo que por um momento, amor. "Deve ter sido só carência", ela pensou relaxada. Ainda coberta pelo êxtase do beijo, levou sua mão até a nuca do garoto e a acariciou de forma serena e inocente. Assim o puxou para mais um beijo, que logo se transformou em selinhos.

Pouco tempo depois, os dois se afastaram sérios. Um de frente para o outro, e quando os seus olhares se encontraram: tímida, ela virou o rosto. Encontrando o seu livro perdido, Alice no país das maravilhas. Mas como não queria estragar o seu momento com Louis, preferiu não arriscar levantar e pegar o livro, ainda com a possibilidade de não ser o seu, e sim um qualquer outro exemplar.

Se encararam novamente, dessa vez sorrindo bobos um para o outro. E ele chegou mais perto e a abraçou de lado, fazendo ela deitar-se em seu peito, prontos para terminar de assistir o filme.

- Na manhã seguinte -

Assim que abriu os seus olhos virou-se para a cama ao lado. Donna já havia se levantado e provavelmente estaria no banho. Sentou-se na cama e se lembrou da noite passada, dando um leve sorriso enquanto coçava a cabeça.

Donna: Bom dia. - Disse alegre indo em direção ao seu celular, que carregava na estante de livros.

Você: Bom dia, Donna.

Donna: A noite foi boa, não foi? - Disse dando um sorrisinho, qual a garota começou a suspeitar. - Quando vim pro quarto você não estava aqui, e quando acordei, te vi dormindo com um sorriso.

Você: É, foi uma noite divertida. Obrigada.

Levantou e foi em direção ao banheiro, onde tomou um banho bem gelado para despertar e vestir-se.


Ao notar o grande suspiro da garota, Donna perguntou:

- Pra onde vai gata desse jeito?

Você: Pra aula, ué. - Disse meio tímida.

Donna: Você tá linda!

Você: Valeu. - Sorriu e saiu do quarto.

Começou a caminhar entre os corredores da grande escola em busca de Claire ou Eleanor, já que a garota lhe devia alguma novidade.

Louis: Bom dia princesa! - Disse sorrindo ao beijá-la na bochecha, bem pertinho da boca.

Você: Lou, o que você está fazendo? - Falou em um sussurro, quando notou que estavam chamando atenção.

Louis: Beijando minha garota, ué.

Você: Não sou sua garota. - Retrucou fazendo uma careta.

Louis: Mas eu pensei que, depois do beijo ficaríamos juntos. - Disse meio chocado.

Você: Eu, eu não sei Louis.

Louis: Então, se essa produção não é pra mim. Pra quem é então?

A garota ficou calada, parada. Olhou para os lados e logo avistou, ao longe, Niall e Eleanor andando de mãos dadas, sorrindo um para o outro. Ninguém sabia o quanto ela se sentia magoada. Então sentiu Louis entrelaçando suas mãos, virou para ele e lhe deu um breve selinho, fofo.

Louis: Já te entendi, carrot.

Ela apenas sorriu e os dois, juntos, foram de encontro ao outro casal. E por um momento, lembrou-se de Zayn, que há tempos não falava com ela. Estava sentindo sua falta. Assim que tomaram o café da manhã, Niall e Louis levantaram se despedindo e indo até a sala de história, enquanto (S/N) esperava ansiosamente a notícia que Eleanor prometera lhe contar.

Você: Dá pra você engolir isso logo? - Falou impaciente olhando a amiga mastigar uma rosquinha rosa.

Eleanor: Desculpa. - Disse limpando as suas mãos. - Só queria te contar que eu e o Niall estamos dando um próximo passo: conhecer os nossos pais.

(S/N) se sentiu meio surpresa com aquela história, já que pra ela esse era um grande passo. Aprendeu assim, assistindo aos filmes românticos que sua mãe adorava. E em questão de segundos, sua amiga mudou totalmente o rumo da história.

- E você e o Louis? - Ficou em silêncio e revirou os olhos. - Ah, qual é? - Disse se levantando. - Eu vi vocês dois de mãos dadas agorinha, deram até um beijo.

Você: Realmente, foi "o beijo". - Disse fazendo aspas com as mãos, sarcástica.

Eleanor: Humpf! Tudo bem, né? - Ela assentiu e deram as mãos. - Mas e essa roupa linda, quem é que escolheu pra você? - Disse dando um sorrisinho de canto.

Você: Você, Eleanor. - Riram e recolheram os seus materiais, caminhando rumo ás suas respectivas aulas. 

- Flashback Mode On -

Ela enfim desistiu, jogou seu casaco novamente no chão e se esticou na primeira cama que viu, relendo a verdadeira cópia do folheto:

Trair a confiança da amiga, dá nisso: culpa.
Viver com uma garota que te odeia, dá nisso: raiva. 

Ver o seu (ex) ficante namorando a sua melhor amiga, dá nisso: ciúmes.
Passar tanto tempo longe de casa, dá nisso: saudades.
Ver o seu melhor amigo longe, dá nisso: solidão.

- Flashback Mode Off -

Hoje é o meu último dia de férias. As minhas foram ótimas, e a de vocês?
Espero que tão boas quanto a minha :)

Já curtiu a nossa página no facebook?

Hanna Ashley

Voltei.

 
Eu sumi não foi ? Sorry. eu estava aproveitando minhas férias (fiquei o dia todo no celular, masok) e também fiquei sem computador por um tempo, me desculpem mesmo por não dar notícias. Eu não quis levar isso como obrigação e daqui duas semanas minhas aulas começam, primo ano do ensino médio e essa escola é bem mais puxada que o comum, tenho que estudar um dia em período integral, ou seja, menos tempo pra postar. Mas, eu juro que vou tentar alguns capítulos de Try Again nesse meio tempo de resto de férias, okay ? É isso gente, beijoooo.

Imagine com Harry Styles - Superhero - Primeira Parte


Andava ao lado dele tentando acompanhá-lo, seus passos eram firmes e rápidos, com certeza ele estava com pressa. As fãs japonesas vinham atrás, correndo e gritando o seu nome. E tudo isso só para atravessar a rua e entrar no prédio da rádio mais famosa do Japão, a NHK-FM.

Harry: Você sabe pra onde a gente vai?

Você: Não faço ideia.

Harry: Porra, já estamos atrasados e você nem olha qual é a sala. - Dizia ríspido.

Posso fazer o quê? Sempre foi emocionante ser assistente pessoal do Styles e, como directioner, acompanhá-lo e ver os meninos diariamente. Trabalho rodando o mundo e tendo a "companhia" de alguém que, por mais que eu me sinta iludida em falar isso, sonho que seja meu marido.

Ele na verdade também não é assim, rude. Mas de certa forma infelizmente sempre foi, quando está de ressaca, claro. Normalmente, ele é um cara normal, com vontades de um cara normal não tão normal assim.

Quando voltei do mundo da lua, estávamos sendo acompanhados por uma moça loira, qual o Harry não tirava os olhos. Subimos algumas escadas e pronto, encontramos com os garotos, que faziam festa ao acenar para as centenas de garotas lá em baixo, pela grande janela de vidro.

- Reserve o melhor restaurante da cidade, mesa pra dois, ás 20:00hrs. - Sussurrou perto do meu ouvido. É, ele vai levar a loira pra cama.

...


Harry: Tudo pronto? - Perguntou enquanto eu fechava os botões de sua camisa.

Você: Sim. Já pode ir, o carro está de esperando lá embaixo. - Digo suspirando e sentando na cama de hotel.

Harry: Compre velas e as espalhe pelo quarto. Ás dez estarei de volta, não me espere nem durma aqui. - Disse enquanto pegava seu relógio e carteira. - Ah, e quero champanhe, do melhor que tiver. Assim que for de madrugada pegue as roupas da garota e as leve para uma lavanderia. Quero elas secas e passadas aqui ás nove. Não se esqueça de pedir ao serviço de quarto para trocar as roupas de cama assim que Khaya sair.

Você: Certo.

Harry: Pegue tudo o que precisar pra passar a noite e não se preocupe em alugar um quarto pra você no meu nome.

Você: Certo.

Harry: Só consegue falar isso? - Perguntou rindo.

Você: É o meu trabalho. - Dou um sorriso.

Harry: Até amanhã, (S/N). - Assenti com a cabeça e o vi sumindo pelo corredor. A noite ia ser longa.

...

De madrugada, ás três horas da manhã fui buscar as roupas da garota. Mas recuei assim que iria bater a porta, escutei alguns gemidos e voltei para o quarto. Teria que buscar outra hora. 

Mas.. é tão comum e estranha, aquela velha história da assistente, que acompanha o seu patrão á tanto tempo ter uma paixão secreta por ele, ou talvez uma amizade muito forte não retribuída. E, mesmo que ele seja do jeito que é, acompanhar de perto tudo isso é frustrante.

Talvez seja esse o motivo que agora, eu esteja me debulhando em lágrimas, com a cabeça debaixo do travesseiro, ainda pensando na "história" da minha vida. Assim que consegui parar, olhei para o teto fixamente, esquecendo a vida que me espera logo atrás daquela porta.

- Flashback Mode On -

- Eu sou o Harry, muito prazer. - Disse estendendo sua mão para mim. - Você deve ser a minha nova assistente, certo? - Assenti com a cabeça, vidrada no seu sorriso. - Pelo visto tímida também.

- Na verdade só um pouco. - Falo tentando relaxar. - O prazer é meu, Harry. - Digo dando-lhe um abraço.

- Parece que vamos ser bons amigos também, não acha?

"Que Deus te ouça", penso alto.

- O que disse?

- Sou directioner. - Falo tentando disfarçar, duvido muito que ele tenha caído nessa. Bom, pelo menos ele sorriu.

- Flashback Mode Off -

Você: Tchau e tenha um bom dia Srta. Khaya. - Aceno e ela vai embora de táxi.

Volto até o quarto do Harry e o vejo, apenas de boxer, sentado numa poltrona com um pequeno copo de uísque e gelo na mão.

Você: Bom dia Harry. Dormiu bem? - Perguntei ainda na porta.

Harry: Como um anjo. - Vi seu sorriso malicioso pelo reflexo do espelho, não que ele não tenha notado. - Não vai entrar? - Dei dois passos para a frente e fechei a porta. Caminhei até o guarda-roupas e peguei sua mala. 

Você: Que roupa vai usar para viajar, Sr. Styles?

Harry: Pegue qualquer coisa confortável, hoje quero menosprezar as roupas coladas. - Disse tomando outro gole. - (S/N), hoje não é o seu aniversário?

Você: Na verdade, é daqui a dois dias.

Harry: Lembre-se de comprar um presente pra você. - Levantou e começou a se vestir.

Você: Já comprei. Aliás, o senhor tem muito bom gosto.

Dou um leve sorriso enquanto o vejo rir, ele termina de se vestir e pega sua mala.

Adeus, Tóquio.

Parte 1 | Parte 2 | Parte 3 | Parte 4 | Parte 5 | Parte 6

Hanna Ashley

Olá


Olá, você que está lendo. 
Eu sei que estou com uma dívida enorme com vocês, leitores. Tenho a consciência de que faz tempo que não entro para atualizar o que escrevo. Existem vários motivos para isto estarem acontecendo. 
Primeiramente, eu estou decepcionada comigo mesma por não ter conseguido escrever tudo o que eu havia planejado para estas férias e consequentemente minha inspiração está parada, nenhuma ideia nova ou vontade de escrever, vontade eu tenho, claro, porém a cada frase que eu escrevo eu penso que está uma droga. Parei até de ler um pouco, pois tenho sido um pouco crítica demais a como as pessoas escrevem.
Me desculpe se agi de maneira grossa com alguém nos comentários ou em qualquer outra rede social. 
 Segundo, minhas férias estão ótimas mas, não estou totalmente 'em férias'. Acabei de descobrir que o câncer que minha cachorra está em um estado mais avançado e provavelmente sem cura, apenas com a quimioterapia terá alguma redução e para isso eu tenho que acompanhar meu pai as consultas e exames dela, afinal, ela é minha e isto está me proporcionando novas responsabilidades em relação à ela. 
Terceiro, quero aproveitar minhas férias. Não quero ter que tornar postar no blog uma obrigação, sim, tenho que ter certa responsabilidade com meus leitores, sinto muito ter decepcionado-os dessa vez. Entendam que eu quero me distrair como ler livros ou algo do tipo. 
Já que estou escrevendo isto que deixar avisado que eu estou indo para o nono ano. Provavelmente eu sempre dou o mesmo aviso todo o ano, porém este é diferente e quero que me entendam que este ano vai ser mais complicado para postar. Meus dias vão estar totalmente ocupados por minhas atividades habituais e nas épocas de prova vão estar mais ainda. E desta vez, quero me dedicar totalmente aos estudos, assim tendo disponibilidade somente os finais de semana, sinto muito por isto mas é necessário. 
Até alguma hora. 
(( atualizo antes de minhas férias chegarem ao fim ))
Jana.

Imagine Liam Payne - Last Kiss

Quem quiser ler com a música, fique á vontade:

__________________________________


Você: Terminamos á dois dias.

Taylor: Eu sinto muito. - Disse vindo me abraçar.

Eu ainda lembro o olhar em seu rosto através da escuridão do nosso quarto ás 01:58 da manhã. Lembro das palavras que sussurrou para que só nós soubéssemos. Você tanto falou que me amava, então por que você foi embora?

Você: Eu me lembro agora do cheiro de chuva fresco na calçada, enquanto fazíamos planos para o nosso futuro, juntos. Eu corri para fora do avião, naquele 9 de julho. Com receio de que, quando voltasse ele não estivesse mais em casa. - Seguro o choro.

Lembro da batida do seu coração pulando através da camiseta quando te tocava. E ainda posso sentir os seus braços me segurando, para não cair, como estou caindo agora.

Você: Mas agora, todas as noites sento no chão vestindo as suas roupas. Do mesmo jeito que ele gostava de quando eu as usasse, ele gostava de saber que eu era dele, e de mais ninguém. - Digo fungando. - Tudo o que eu sei, é que não sei como ser algo que ele possa sentir falta.

Taylor: Você nunca pensou que teria um último beijo, não é?

Você: Uhum. - Digo chorando, enquanto era abraçada mais uma vez. - Eu nunca imaginei que acabaríamos assim. O nome dele para sempre estará nos meus lábios.

Taylor: Calma. - Disse me desabraçando. - Olha (S/N), eu também me senti assim. O Harry foi uma pessoa muito especial na minha vida. E eu também nunca iria imaginar que acabaríamos daquele jeito, sabe, era pra ser uma viagem romântica. Mas ela acabou com a nossa relação. - Disse suspirando e fechando os seus olhos. - Lembro-me de seguir os seus passos, a vida de festas, ele sempre mostrou isso. Eu me sentia sozinha, e ele me encontrou. Lembro de revirar os meus olhos com alguma coisa idiota que ele disse e ele me puxar e me beijar, sorrindo da minha atitude. - Disse tentando secar as lágrimas.

Você: Me desculpe. Somos duas bobonas. - Digo sorrindo, mas ainda triste.

Taylor: Eu não costumava dançar muito, você sabe, mas por ele dançamos em um programa de tevê. Foi divertido. Parece que o que restam são as memórias boas. Você não sabe o quanto foi difícil completar um ano longe dele. Sempre o observo de longe, eu ainda gosto dele.

Você: O Harry é um idiota, lerdo. Mas totalmente apaixonante. - Digo sorrindo ao vê-la rir. Até me lembrar do meu amado e nós duas começarmos a chorar de novo. - Ah, não chora!

Taylor: Eu choro porque eu amo a mão dele trêmula ao conhecer o meu pai. Ou o jeito como ele anda com as suas mãos nos bolsos. Como ele me beijou quando eu estava dizendo algo. Não há um dia que eu não sinta falta daquelas rudes interrupções. - Começou a chorar mais ainda. - Eu juro, que eu também sento no chão encostada na cama vestindo uma única blusa dele que ficou na minha mala.

Você: Não posso falar mais nada. - Digo a abraçando.

Taylor: Então eu vejo sua vida em fotos, assim como eu o observava dormir. Tudo o que eu sinto é ele me esquecer como eu costumava senti-lo respirar.

...

Você&Taylor: Só liguei pra dizer que eu continuarei a sair com os nossos velhos amigos.

Liam&Harry: ...

Você&Taylor: Na verdade, só pra perguntar como você está.

Liam&Harry: ...

Você&Taylor: Espero que esteja ótimo onde você está.

Liam&Harry: ...

Você&Taylor: Tchau.
...

Taylor: And I hope the sun shines and it's a beautiful day. And something reminds you, you wish you had stayed. You can plan for a change in the weather and time, but I never planned on you changing your mind.

Você: So I'll go, sit on the floor wearing your clothes. All that I know is, i don't know how to be something you miss.

Taylor: I never thought we'd have a last kiss, never imagined we'd end like this. Your name, forever the name on my lips. Just like our last kiss, forever the name on my lips.

Você: Just like our last.

Scott: Perfeito!
__________________________________

Não ficou muito bom, mas valeu a intenção. O que vocês acharam?
Ah, sem querer encontrei essa página de imagines PER-FECT, a ADM também faz dos minos.
Já curtiu a nossa página no facebook?
@unkindgirl
Hanna Ashley

Try Again - Capitulo 1


Capitulo 1 - Eu o amo
Eu posso fingir um sorriso, Posso forçar um riso, Posso dançar e atuar. Se é isso o que você pede te dar tudo o que eu sou. / Human - Christina Perri.

 Eu estava em minha cama deitada apenas de camisola olhando o teto, era tarde, mas eu não estava com sono. Todas as noites eu costumava dormir cedo, para não ver Harry chegar, porém hoje o sono parecia não querer chegar. Eu não queria ver ele chegar, gostaria que ele pensasse que eu apenas estava dormindo, para não despejar tão rudes palavras sobre mim. Me doía saber que o homem que eu amo havia se tornado assim indócil, rude e covarde. Ele nunca havia sido assim, ele era o cara perfeito, ele era "o" cara, mas depois do casamento se transformou em um perfeito "monstro", ao qual eu me assustava quando ele tinha seus momentos de revolta. Harry nunca havia erguido sequer a mão para mim, até um jantar de família dele. Um primo dele fez uma brincadeira, ao qual todos no ambiente levaram na brincadeira, inclusive eu, mas ele não. Durante o jantar todo ele parecia compreensivo, comemorávamos um ano de casamento, mas então quando todos foram embora veio a minha surpresa. Estava ajeitando algumas coisas quando ele veio atrás de mim, já com o tom de voz alterado e me disse coisas que eu nunca imaginei ouvir, pelo menos não dele.

Flashback ...

-Seunome o que você acha que eu sou ? Um corno idiota que não percebe o que está percebendo o que está acontecendo a sua volta?
-Mas meu amor, aquilo foi apenas uma brincadeira, você não devia levar a sério as coisas que ele diz, você conhece muito bem seu primo -eu disse tentando o acalmar-
-Me engana que eu gosto, para de me chamar de meu amor entendeu ? -ele falou rispido e alto, de forma que nunca havia falado, ou melhor, gritado- Você não passa de uma vadia, uma vadia -aquelas palavras ecoavam em minha mente, ele nunca havia me dito isso, ele  nunca havia me xingado, até mesmo porque nunca dei motivos- Sabe o que vadias merecem ? Elas merecem apanhar, apanhar feito cachorro. Para que aprendam a nunca mais fazer isso.
-Mas eu não fiz nada Harry -disse com a voz trêmula dando alguns passos para trás assustada o vendo vir até mim-
-Você acha que eu sou cego ? Que eu não vi o que eu vi ? Minha família toda deve pensar que eu sou um corno, como você pode dar moral para ele na minha frente ? Eu sou seu marido sua vadia, você me deve respeito -ele disse e pela primeira vez em em 5 anos de relacionamento senti a mão de Harry arder em meu rosto me fazendo ir para o chão-

Flashback end...

Aquela noite não havia acabado por ai, para meu espanto ele chegou a me machucar, mas pior que a minha dor corporal, foi minha dor sentimental. Eu vi o homem que eu amava me machucar, gritar comigo, me dizer coisas ruins. Depois daquele dia ele demorou um pouco, mas repetiu tão ato cruel, e com o tempo, isso foi se tornando mais frequente. Durante nosso namoro ele havia sido um príncipe, o cara dos meus sonhos, mas depois de um ano de casamento se tornou nesse homem que tanto me machuca e me faz sofrer, porém não posso deixar de dizer que o amo, por mais que ele faça tudo isso comigo. Quando ele se deita comigo e me perdão, eu sei que ele vai fazer isso de novo, mas eu o perdoou, porque a bíblia mesmo diz "Quem muito perdoa, muito ama" . Sabe o mais irônico de tudo ? Harry é advogado, pois é, um homem formado em direito que sabe o quão errado isso é e todos os prejuízos que isso daria ele, tais como cadeia e ainda sim ter o direito de advogar tirado dele, mas ele sabia que eu nunca o denunciaria, eu o amava demais para isso, a ponto de ser burra para nunca deixa-lo. Eu sempre tive medo de cair nas armadilhas do amor e nunca mais conseguir sair delas. Porque quando se trata de amor ninguém consegue ser forte o tempo todo. É exatamente isso, eu não sei o que fazer, esse amor por ele me tornou mais fraca. O cara que eu amo me bate, me machuca por dentro e por fora, me faz me sentir mal, quando não faz coisa pior -dei um leve suspiro- Ouvi a campainha da casa, mas quem poderia ser a essa hora eu não fazia ideia, já são quase onze da noite, ninguém com senso de educação vem a casa, ou melhor, apartamento de uma pessoa a essas horas. Coloquei apenas um "roupão" sobre a camisola não tão curta que usava, nem liberdade para roupas eu tinhas, aliás liberdade para nada, eu era prisioneira dessa casa, Harry diz que quer me deixar no eixo, um eixo que eu não necessito, mas eu faço tudo por ele, então me calo antes que ele me machuque mais do que já machuca. Abri a porta e me dei de cara com um rapaz tão lindo, não era tão alto, era magro, tinha lindos olhos azuis ou verdes -eu não sabia distingui-los, mas estava maravilhada com tal beleza- seu cabelo era grande, castanhos e seu penteado formava um topete ou algo do tipo, ele era simplesmente lindo. Suas roupas tinham um jeito largado, mesmo assim muito lindas, aparentava pouca idade e tinha um sorriso lindo, que deixaria milhões de meninas aos seus pés.

-Olá -ele disse sorrindo me tirando de meus pensamentos- Bem eu sou Louis, seu novo vizinho de apartamento, me desculpe te incomodar a essa hora -pareceu ficar sem graça- Mas se não for muito incomodo, teria como me emprestar uma xícara de açúcar? -clichê ? Nem imagina o quanto, o vizinho bonito te pedindo uma  simples xícara de açúcar, mas o que tem de mal não é ?-
-Ah claro, sou Seunome Styles. Vou pegar uma xícara de açúcar para você -disse pegando a xícara da mão dele e indo até minha cozinha pegar o tal ingrediente para ele. Voltei a porta da sala e entreguei sua xícara com um sorriso simpático para ele que retribuía o mesmo-
-Obrigado Seunome, eu juro que assim que fizer compras te devolvo.
-Não precisa se preocupar, não irá me fazer falta -disse dando um riso fraco-
-Oh, mesmo assim obrigado -ele abriu o sorriso um pouco mais e depositou um beijo suave em minha bochecha, assim saiu andando e adentrou seu apartamento-

Estava prestes a fechar a porta, mas algo a me impediu de realizar tal ação, antes que eu pudesse abrir a porta novamente e olhar quem quer que fosse, ou o que quer que fosse, a porta foi aberta ou melhor, lançada contra a parede brutalmente. Olhei com os olhos arregalados por tal ato, foi ai que vi ele em minha frente. Seus olhos verdes agora mais escuros que antes, seus punhos cerrados, seus cheiro de álcool que exalava, seus cabelos levemente bagunçados, seu terno meio desajeitado e o ódio, que agora estampava sua face me causando calafrios. Ele parecia furioso, me fuzilava com os olhos. Ele me segurou pelos ombros e olhou fixamente em meus olhos.

-O que você acha que estava fazendo de gracinhas com aquele vizinho?
-Ele só pediu um xícara de açúcar emprestada, eu não fiz nada de mais.
-Você o atendeu de roupas de dormir e ele ainda te recompensou com um beijo, oras que meigo -usou tom irônico- Você acha que eu sou idiota, que desculpinha mais fajuta essa sua. Você não tem vergonha de me trair dentro da minha própria casa ? -ele disse me jogando no sofá-
-Eu não fiz nada de errado Harry -disse com medo, sabendo o que viria pela frente-
-CALA BOCA SUA VADIA -gritou me assustando- Você é uma vadia, vadias merecem ser punidas -ele esbravejou enquanto retirava o cinto de sua cintura-
-Harry não por favor, de novo não -falei em vão sentindo seu cinto bater em minha perna com força, deixei um grito de dor escapar-
-Quanto mais gritar, mas eu irei te bater -ele falou com ódio e me calei, bateu novamente e sufoquei um grito-

Ele continuou com aquilo por mais algum tempo, eu estava ali, machucada, emudecida pelo cara que eu amo. Quando ele caiu em si parou com aquilo, me olhou com certa tristeza nos olhos e deixou que seu cinto caísse no chão. Se agachou e me abraçou sem dizer nada, me encolhi um pouco talvez por medo, ele me abraçou mais forte ainda percebendo isso. Me pegou no colo e me colocou na cama delicadamente, beijou minha testa e foi para o banheiro. Eu não sabia se aguentaria viver assim para sempre, eu não sabia de mais nada, essa não era a vida que imaginei para mim, mas era com ele que teria que me contentar. Por que eu ainda não o deixei ? Bem, acho que a resposta é bem óbvia pra você já, eu o amo. 

Continued...

Try Again - Sinopse


Ele nunca havia sido assim, ele mudou muito. Quem poderia imaginar que aquele cara que ela tanto amava poderia se tornar aquilo, uma casamento havia o transformado, ele não sabia por que, mas ele não conseguia se segurar diante dela. Eles poderia tentar de novo ? Dessa vez daria certo ? Eles não sabiam, mas ela estava disposta a tudo para salvar o casamento com o cara que tanto amava. 
Nunca gostei de ter sentimentos. Dói. E quando você ama alguém, não importa o que digam, você lutar até o fim por vocês.

"Paixão testa, o amor prova. A paixão acelera, o amor retarda. A paixão repete o corpo, o amor cria o corpo. A paixão incrimina, o amor perdoa. A paixão convence, o amor dissuade. A paixão é desejo da vaidade, o amor é a vaidade do desejo. A paixão não pensa, o amor pesa. A paixão vasculha o que o amor descobre. A paixão não aceita testemunhas, o amor é testemunha. A paixão facilita o encontro, o amor dificulta. A paixão não se prepara, o amor demora para falar. A paixão começa rápido, o amor não termina. "- Fabrício Carpinejar

Hello, bem já deu pra ver que vou começar outra fic né, pois vou mesmo afinal eu percebi que não estavam gostando de OFWT , tenho uma ideia bem melhor para essa u.u Aliás, a principal se chama Seunome, bom não é ? Bem, então até mais, logo venho com o primeiro capítulo. Beijos.

LongFic - You and Me - Capítulo 2


Você POV


- Clary já disse que eu não vou! Ainda menos com este vestido totalmente sugestivo. Não vou!
- Ah minha cara, você está muito enganada. Aquele lugar vai estar lotado. Já nos formamos, vamos arrumar um emprego e talvez, nunca mais vamos conseguir ver alguém que estará lá. Quem sabe, você encontre a quem se interesse.
- Prefiro ficar no meu mundinho dos livros. Neles sim existem personagem que podem muito bem substituir as pessoas reais. Elas são tão adoráveis.
- Se você se privar do Mundo real, as pessoas sempre vão parecer erradas para vocês mas, elas não são. Confie em mim, vai ser bom. Talvez, você passe a ver Harry com outros olhos.
- Sim, eu vou. Mas, com  uma condição.
- Já imaginava que não seria fácil.
- Quero alguns livros em troca.
- Tudo bem, se arrume logo ou vamos chegar atrasadas.

LongFic - She's Not Afraid - Capitulo 3


Capítulo 3 - Merry Christmas