Beautiful Mess - Capítulo 8

                                                           Bela garota, bela garota
                                              Você deveria estar sorrindo
                               Uma garota como você nunca devia parecer tão triste

Eu deveria organizar minha mente. Encaixar meus pensamentos, devagar. Minha cabeça tá parecendo o Titanic. Primeiro: eu me sinto uma vadia por ter ficado com meu professor — gostoso — de história, que tem namorada e eu não me sinto nem um pouco culpada. Segundo: eu posso está sentindo algum tipo de sentimento para ele, que para mim é totalmente novo, vamos dizer que até senti aquelas famosas borboletas no estomago, e isso me assusta. Me assusta bastante. Quer dizer, dizem quando você se apaixona você sente essas borboletas, e não, eu não posso estar apaixonada. 
Ele é meu professor ‘cara. Eu to pensando o que? Que eu to em um livro, que eu vou me apaixonar pelo meu professor, nós vamos casar, ter dois filhos e um cachorro chamado rex. Não que eu queira isso. Ou talvez eu queira (?). Ah, merda! Eu nem sei o que eu quero. Na verdade meus pensamentos estão parecendo meu cabelo quando eu acordo em um domingo, depois de eu ter passado a noite em inteira com minha amigas. Exato meus pensamentos estão uma bagunça. 

Droga! Merda! Droga! Nossa. Como eu sou boa com palavrões. Pense Silena.

Ótimo, já sei.

Entrei dentro do banheiro e liguei o registro deixando a água fria cair sobre meu corpo. Hoje o dia estava incrivelmente quente, e eu estava com muito calor. Depois de me banhar, me enrolei na minha toalha verde e sai do banheiro cantarolando uma música qualquer. Entrei dentro do closset pegando uma roupa e vestindo, e depois pegando meu diário em uma das gavetas. 

Coloquei o diário em cima da cama e comecei a arrumar meu cabelo em coque frouxo e nada de maquiagens. Peguei meu celular na mesinha de cabeceira e depois passei pegando meu diário. 

. . .

Olhava o parque que fazia tempo que eu não vinha. Esse parque é meio que o Central Park de Wolverhampton.Voltei a me encostar no tronco da árvore, ajustei meu celular na música Treasure do Bruno Mars e peguei meu diário abrindo onde a caneta marcava. Olhei para o nada antes de começar a escrever:

“Oi diário, sabe, anda tudo muito confuso na minha cabeça ultimamente. E eu não desabafo com você desde quando mesmo? Ah, sim, desde muito tempo. Talvez a época que Travis começou a namorar com Julia, antes de terminar e voltar novamente. Resumindo, eu não escrevo aqui faz muito tempo. Talvez eu só escreva quando tenho problemas e antes que quaisquer coisa, eu to sim, com problemas. Sabe, o Liam? Sim o professor de história que deu meu primeiro oito e meio no primeiro ano. Então eu e ele nos beijamos. Duas vezes. Sim ele é meu professor mas merda! Eu não consegui. Eu sempre senti uma atração por Liam, eu e a  metade das garotas da escola, se não todas as garotas. Sabe, o Liam é lindo, carinhoso, atencioso e sempre foi um ‘bronco comigo, mas eu sempre relevei, e agora diário, nos beijamos e eu bem, eu, estou em dúvida de todos os meu sentimentos, eu realmente não sei o que eu faço. Eu não to em um livro do Nicholas Sparks onde tudo, sempre vai dar certo...” 

Parei de escrever ao ouvir uma respiração ofegante atrás de mim.  Olhei para trás e vi Liam se aproximando. Por impulso marquei a página que eu estava com a caneta e fechei o diário o colocando ao meu lado.

— Precisamos conversar. — ele disse antes de se sentar ao meu lado no chão — gramado.
— Sim, precisamos. — respondi olhando minhas unhas pintadas de amarelo. 
— Sobre o beijo...
— Liam não. Esquece isso. Apaga. Deleta. Finja que isso nunca aconteceu, finja que eu sou apenas sua aluna insuportável chamada Silena. Volte a me chamar de Brigport. Por favor, esquece.

Me levantei do chão antes dele dizer quaisquer coisa. Sai correndo rumo a minha casa com a incrível voz do  Bruno Mars cantando Treasure me acalmando

. . . 

— Mãe você viu minha blusa preta dos Ramones? — eu gritei enquanto descia as escadas. 
— Tá lavando filha. — minha mãe gritou da cozinha.

Bufei e quando ia voltar a subir as escadas o telefone tocou, andei até ele e atendi:

— Alô? — falei atendo recebendo uma respiração pesada como resposta.
— Brigport. — a pessoa falou.

Eu gelei ao ouvir sua voz. Meu coração foi a mil. Liam. Só ele me deixa assim apenas dizendo meu sobrenome. Merda! Merda! Merda!

— Sr. Payne. — falei tentando soar natural, mas falhei.
— Você esqueceu seu diário no parque. 

Ai. Meu. Deus. 

Hey Baby ♪
Rélou gatas. Como vão? Gostaram desse capítulo? Amores eu deixe um recadinho para vocês sobre os dias que postarei e como prometido segunda-feira, aqui estou eu. Continuarei em breve.
Mereço comentários?
Beijos de abacaxi, Cah.

6 comentários:

  1. perfeito !!!"
    ah meu deus ela eaqueceu o diario ... será q o Liam leu?
    cooontinuuuaaa!!!!
    to curiosa

    ResponderExcluir
  2. Claro que merece, e muito!! Tá prefeito, e a curiosidade me consome! Então, até segunda gatona!
    Beijinhos!!

    ResponderExcluir
  3. Sera que ele leu?Continua por favor estou curiosa!

    ResponderExcluir
  4. A cada dia,fica viciante ler !! Pelo amor de Deus não pare de escrever é continue please .. eu estou amando de vdd mesmo não comentando ,estou lendo !! =D Vocês são ótimas escritoras !!!

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar
Críticas construtivas são aceitas.
Não desrespeite as autoras do blog. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão excluídos.
Não peça para divulgar seu blog/página, existe uma página para isso aqui.
A comentário tem que ter relação com o assunto da postagem
Deixe o link do seu blog no final (sem o http) para retribuir a visita
Não aceito mais selos
Volte sempre ♥