Imagine Hot Niall e Harry




É 23h37min e você está em sua casa, se preparando para dormir. Você acabou de sair do banho e está enrolada em uma toalha quando seu celular toca.

Você atende e é seu amigo Harry.

- Oi Harry, fala.
- Eu te acordei? – ele pergunta com um tom brincalhão.
- Não, eu estava me preparando para ir dormir na verdade…
- Não tá afim de vir aqui em casa? Tá tendo uma festa com o pessoal.
- Pessoal?
- É, o pessoal, sabe. Niall, Zayn, Liam, Louis e o resto da galera.
- Não sei se é uma boa ideia… – você fala pensativa.

Imagine Hot Zayn



Você está na praia, e o relógio marca exatamente 01h25min, como é madrugada, a praia está deserta, só está você lá. Então você vê um garoto vindo em sua direção.
Quando ele chega mais perto, você vê que é Zayn. Seu vizinho, e ele parece estar isolado em seus pensamentos, com a cabeça baixa. Você o acha muito atraente, e daria tudo para saber o que se passa na cabeça dele, “tudo mesmo”.
- Zayn. - você o chama.
Ele levanta a cabeça lentamente. Você nunca tinha tido uma conversa inteira com ele antes, era só “oi”, “tudo bem?”, nada mais que isso. Mas agora ele está ali, bem diante de você, numa praia deserta, e sozinho.
O vento balança seus cabelos, fazendo eles atrapalharem sua visão, então você tropeça na areia e cai. E o pior é que você está de saia, e se esborracha ali, de cara na areia, na frente de Zayn. Ele corre para te socorrer.
- Você tá bem? - ele pergunta segurando sua cintura para ajudá-la a levantar.
- Eu é quem deveria perguntar isso né?!
Ele te olha assustado.

Imagine Hot Niall



Você é amiga dos meninos, e Niall resolveu dar uma festa na casa dele já que seus pais estão viajando. Mas a festa não durou muito tempo já que os vizinhos chamaram a polícia, que suspendeu a festa, então o pessoal foi em bora, mas Niall pediu que você ficasse, e você aceitou, pois disse para seus pais que a festa ia até mais tarde.
- Estamos só nós dois aqui agora. - você diz entediada.
- Já sei o que podemos fazer. - ele levanta uma sobrancelha, o que a faz pensar que ele está maliciando por dentro.
- O que? - você pergunta curiosa.
- Sabe jogar sinuca? - ele pergunta.
- Humm, sinuca, sou ótima na sinuca.
- Que bom, então vai ser uma competição e tanta, porque eu odeio perder. - ele fala a encarando.

Imagine Hot Louis



Você está indo para uma festa a fantasia, esta vestida de Chapeuzinho Vermelho, você se sente um pouco desconfortável pelo tamanho do vestido que está usando, mas gosta da personagem. Ao chegar lá você vê algumas pessoas conhecidas, mas as deixa de lado para dançar um pouco. Na pista de dança percebe um policial te olhando fixamente, com olhos claros e um sorriso pervertido, você o olha com desprezo e vai beber algo. Sentindo um imenso calor por causa da dança, você pega um copo de Passaport, bebe e vai lá para o estacionamento. Perdida em seus pensamentos você se assusta quando alguém sussurra em seu ouvido.
- Baby, eu não sou o lobo mau, mas eu te comeria com gosto!
Você finge que não ouve e dá uns três passos para frente, ele te segue.
- Hey, não me ignore, eu sou uma autoridade. - ele puxa seu braço levemente.
Você se vira e olha pra ele. Era aquele rapaz que estava vestido de policial e que estava dançando.
- Não se preocupe, eu nunca faço nada de errado. Eu sou uma santa! – fala com um olhar angelical, mas um sorriso irônico.

Imagine Hot One Direction



Você e suas amigas vão ao show dos meninos, e no final vocês conseguem entrar no camarim. Lá vocês conversam, eles perguntam algumas coisas para vocês, vocês dão risadas, muitas risadas, pois os meninos são super divertidos.
- Me diga um sonho seu. – diz Louis sorrindo.
- Bom, estar aqui com vocês já é um sonho. – você responde sorrindo também.
- Então me diga um sonho que você ainda não realizou. – diz Louis ainda sorrindo.
- Hum… passar um dia com vocês talvez. – você responde.
- Nossa, como você sonha baixo. – diz Harry num tom de brincadeira.
Os meninos riem e suas amigas também.
- Você queria que eu dissesse o que? Que meu sonho é fazer você gemer? Porque se for assim eu digo. – você responde no mesmo tom que ele.
Os meninos e suas amigas caem na gargalhada e Harry fica todo vermelho.
Em seguida ele se recompõe e a encara, com um olhar faminto.
- Na verdade, meu sonho é fazer todos vocês gemer. Juntos. – você fala mordendo o lábio inferior, e pensa que eles vão entender isso como uma brincadeira de fã.
Mas não é bem assim que acontece.

Imagine Hot Liam



Acordei sentindo meu corpo dolorido, mas ainda assim sorri me lembrando da noite maravilhosa que tive com Liam. Se alguém me falasse a um ano atrás que eu namoraria Liam Payne eu iria rir. Eu, uma fã qualquer. Apenas uma em vários milhões. Mas ele havia me escolhido, e isso é o que importa. Fiz uma careta ao me espreguiçar, não sei porque estava tão dolorida, nós nem abusamos tanto assim… Isso se não contarmos a pia do banheiro e a máquina de lavar… É, talvez nós tenhamos extrapolado um pouquinho. Bem pouquinho. Olhei em volta e soltei uma risadinha ao ver a cueca de Liam pendurada em cima do lustre, e por um momento me perguntei como ela foi parar lá. Me levantei escutando meu estômago roncar, peguei a camisa de Liam que estava jogada no chão e coloquei minha calcinha. Comida, eu preciso de comida! Saí do quarto e escutei a voz de Liam, parei por um momento não querendo dar de cara com outra pessoa que não fosse meu namorado nos trajes que me encontro. Ou melhor, na falta deles. Mas então me lembrei que Liam iria dar uma entrevista a uma rádio pelo telefone, sorri e me direcionei até a cozinha. Parei no entanto ao ver Liam. Meu Deus aquilo tudo é realmente meu namorado? Eu devo ter sido muito boazinha por umas dez encarnações pra merecer isso tudo. Esqueci da minha fome ao olhá-lo. Aliás descobri que eu ainda estava com fome, mas não de comida. Liam estava largado no sofá parecendo um Deus. O cabelo ainda estava úmido e todo bagunçado, usava uma regata preta, uma bermuda Jeans e um tênis. Simples. Mas divinamente gostoso. Eu realmente gosto do contraste do preto na pele de Liam. Ele abriu um sorriso ao me ver, e eu continuei lá parada, feito como diria Louis uma cenoura congelada. Liam me olhou da cabeça aos pés e eu senti meu corpo esquentar instantaneamente, não é possível ele conseguir fazer isso com apenas um olhar. Não é justo! É sempre assim, eu comendo na mão de Liam, se ele me pedir pra pular do alto da estátua da liberdade eu pularia e nem pensaria sobre o assunto. Ele me tinha na palma de suas mãos, sempre teve e eu desconfio que sempre me terá . Respirei fundo sentindo seu olhar me atravessar, e uma idéia passou por minha mente.Será? Minha expressão mudou instantaneamente, e eu pude perceber que Liam mudou a sua para apreensão também. Me aproximei de Liam lentamente, tentando criar coragem para o que se passava em minha mente. Me sentei no colo de Liam, que franziu a testa olhando em meus olhos. Ajeitei-me com uma perna de cada lado do corpo de Liam, e nossos quadris se encaixaram, como sempre. Sorri torto para Liam que me olhava confuso, pisquei para ele e me inclinei roubando um selinho de seus lábios. Desci minha boca por sua mandíbula e pescoço, deixei um rastro de beijos até sua orelha e sussurrei em meio a mordidas.


– Não se esqueça que está em rede nacional. – eu disse chupando o lóbulo da orelha dele e o senti arrepiar.


Um ano é tempo suficiente para conhecer os pontos fracos de uma pessoa, e eu sei bem os de Liam. Comecei a distribuir beijos pelos ombros de Liam que estavam expostos devido a regata, enquanto o senti retesar-se. Ótimo. Em um ataque de coragem eu movi meus quadris lentamente me esfregando em Liam, e o assisti fechar os olhos e morder o lábio. As mãos dele vieram automaticamente para minha cintura e eu repeti o movimento, ele me olhou e eu indiquei o telefone. Enfiei uma mão por baixo da barra de sua regata e deixei minhas unhas arranharem seu baixo ventre, Liam encolheu a barriga e deu uma leve afastada no telefone para gemer. Fiz uma cara de brava e segurei sua mão o obrigando a colocar o telefone de volta na orelha.


– Comporte-se Payne, você está trabalhando… - eu disse baixo tomando cuidado para minha voz não sair na ligação.


Liam falava coisas que eu não prestava atenção na tal da entrevista e eu só esperava que aquilo durasse tempo suficiente para que eu pudesse colocar minhas idéias em prática. Comecei a fazer movimentos com meu quadril em cima de Liam, enquanto o arranhava e beijava aonde eu conseguia alcançar. Ele jogou a cabeça para trás apertando os olhos e os punhos tentando se controlar, e eu deixei um sorriso escapar o sentir a ereção de Liam se formando abaixo de mim. Ainda me pressionei mais em Liam, e então sem avisar e nem nada eu saí de seu colo. Vi Liam fazer uma careta entre o decepcionado e o aliviado e voltar a falar normalmente. Eu ri e me ajoelhei em sua frente. Deslizei minhas mãos pelas coxas de Liam que arregalou os olhos novamente, passei minhas unhas por seu tornozelo e subi até onde sua bermuda me permitia. Voltei a arranhar seu abdômen, e desci até a barra de sua bermuda, fiquei deslizando minhas unhas por aquela região como se fosse a coisa mais entediante do mundo. Liam tentou segurar minha mão mas lhe desferi um tapa olhando-lhe séria. Abri os botões de sua bermuda e o zíper e Liam me olhou preocupado me arrancando um sorriso novamente. Sem pensar muito abaixei sua bermuda e sua cueca de uma vez só e dei uma risadinha ao ver que sua ereção já estava bem avantajada. Distribui beijos pelas coxas de Liam, deslizando minhas mãos por toda sua perna, fingindo ignorar totalmente o membro pulsante à minha frente. Fiquei enrolando e provocando Liam calmamente, e então quando Liam olhou para cima pra tentar se concentrar em uma resposta eu vi a minha deixa. Enfiei o membro de Liam inteiro em minha boca e o escutei soltar um gemido alto. Olhei para ele que me olhava ofegante.


– Eu…. chutei o sofá… - escutei Liam tentar se justificar.


Pulei toda aquela parte de ir com calma no começo, eu queria fazer Liam ficar em minhas mãos como eu ficava nas dele, e pra isso não poderia dar tempo para ele pensar, ou até pra mim mesma pensar ou provavelmente eu iria morrer de vergonha. Apoiei minhas mãos nas coxas de Liam e confesso que apertei de propósito, deixando a marca de minhas unhas de leve. Chupei a pontinha circulando com minha língua e tive que conter o riso ao ver Liam apertar os olhos e pedir para a pessoa do outro lado da linha repetir a pergunta. Comecei a torturar Liam, deslizando minha língua lentamente por toda a extensão de sua ereção. Sem pressa. Protegi os dentes com o lábio e o envolvi com a boca fazendo pressão na cabeça e voltando a chupá-lo. Percebi Liam agarrar a beirada do lençol e apertar as mãos. Aumentei o ritmo, e depois parei e novamente Liam grunhiu, e disfarçou com um pigarro, como se estivesse limpando a garganta. Ah mas eu faço questão de procurar essa entrevista pra escutar depois na internet. Saí de meus devaneios quando escutei Liam dizer que responderia apenas mais uma pergunta pois precisava desligar. Precisava porque? Sorri internamente com minha cara de pau e sem pensar duas vezes comecei a chupar Liam intensamente e vi que ele deixou a marca dos dentes em seu lábio tentando conter-se. Assim mesmo Liam. Respirei fundo e forcei todo o membro de Liam em minha boca, sentindo-o em minha garganta, Liam deu um murro no sofá e quando olhei em seus olhos pude ver sua pupila dilatada, e um arrepio subiu por minha coluna ao ver a cara de predador de Liam. Voltei a chupá-lo e novamente o forcei contra minha garganta, não era a melhor das sensações uma vez que Liam era realmente bem dotado, mas eu não ligava, apenas queria enlouquecê-lo e pelo visto estava funcionando. Senti o membro de Liam ficar ainda mais duro em minha boca e percebi que ele gozaria, ótimo, quero só ver como ele vai fazer pra se controlar no telefone. Concentrei-me em chupar a ponta enquanto masturbava o resto e quando percebi que Liam se segurava eu não pensei duas vezes. O engoli todo o sentindo bater em minha garganta. Seguido pelo gozo de Liam. Levantei os olhos a tempo de ver Liam desligar o telefone e jogá-lo longe ao mesmo tempo em que soltava um verdadeiro grito de alívio. Continuei chupando-o fingindo que nada estava acontecendo. E os gemidos de Liam atingiam meus ouvidos como bombas eróticas… Depois de gozar, Liam soltou seu peso no sofá e deitou a cabeça no apoio aparentemente tentando respirar, dei um sorrisinho e me levantei como se nada tivesse acontecido, dei um pequeno selinho em Liam e saí da sala deixando-o sozinho. Voltei para o quarto e tomei um banho rápido. E gelado. Confesso que eu tinha um sorriso idiota no rosto. Eu tinha conseguido domar Liam Payne! Há, eu sou foda! Saí do chuveiro cantarolando, me sentia bem. Mas congelei quando entrei no quarto. Liam estava deitado na cama com as costas apoiadas na cabeceira, só vestindo sua bermuda, sem camisa e descalço,com os braços ao redor da cabeça e de olhos fechados. Meus Deus, ele estava querendo me matar era isso? Só podia. Tentei ignorar a visão do paraíso e me direcionei ao closet.


– Hey Vanessa… - parei no meio do caminho. Sempre tive uma tara pela voz de Liam, mas ela nunca havia soado tão sexy, tão … sombria. Não consegui falar nada, apenas me virei para ele - Você acha mesmo que está tudo bem? - ele disse abrindo os olhos e senti alguma coisa repuxando-se no meu estômago - Acha que vai brincar comigo em rede nacional e vai ficar tudo bem? Ah amor… você não sabe com quem brincou…


Liam levantou-se e eu engoli em seco. Meu deus aonde foi parar o Liam fofo e carinhoso de sempre? Liam andou até mim e eu simplesmente não conseguia me mover. Senti ele enroscar sua mão em meu cabelo e me puxar para si possessivamente e em pouco tempo sua língua invadia minha boca. Liam me beijava exigentemente. Uma mão me mantendo colada a si pelos cabelos e outra simplesmente arrancou minha toalha, jogando-a em algum lugar do quarto. Liam me ergueu do chão e em um movimento rápido me jogou na cama. Assisti ele se aproximar da cama lentamente, não falava nada. Apenas ficou lá, me encarando com aqueles olhos sombrios. Liam deslizou a ponta de seus dedos sobre a pele descoberta de minha barriga e eu me contorci lentamente, como um simples toque podia fazer aquele turbilhão de sensações passar por meu corpo? Liam inclinou-se em minha direção e senti sua boca em meu pescoço ele deslizava a língua por minha pele deixando um rastro de algo que eu podia jurar ser mais quente do que fogo. Beijou meus ombros e toda a extensão de meus braços, até que finalmente chegou em meus seios, e assim como eu havia feito com ele mais cedo, Liam simplesmente os envolveu com a boca, sem aviso nenhum, eu arfei. E levei minhas mãos até seu cabelo. Liam em um movimento rápido imobilizou meus dois braços acima da minha cabeça.


– Fique quieta mocinha, trate de se comportar ou serei obrigado a te amarrar… - ele disse olhando em meus olhos e eu senti o efeito bem em minha região sul. Liam me deu um selinho e puxou meu lábio inferior em uma mordida extremamente sexy.


E então ele voltou ao que estava fazendo. Envolveu meu seio em sua boca, e o chupava quase dolorosamente. Quase, porque era bom demais pra me importar. Liam prendeu suavemente um de meus mamilos em seus dentes e puxou me fazendo soltar um gemido. Oi? Da onde saíram todas essas sensações? Liam repetiu todo o processo no outro seio e sério, isso estava me deixando louca. Senti a língua dele passear por toda a extensão de minha barriga e não pude evitar de contorcer na cama ao sentir sua bocha chegar perigosamente perto da onde eu queria. Da onde eu precisava que ele chegasse. Foi então que Liam simplesmente parou e me levantou o olhar.


– Eu avisei… - ele disse balançando a cabeça em uma negação e se levantou. Por alguns segundos ele sumiu no closet e voltou segurando uma gravata e um cinto. Arregalei os olhos.


– Liam o que você vai fazer?- eu disse confesso que assustada


– Já falei pra ficar quieta. – ele disse simplesmente e juntou novamente minhas mãos acima de minha cabeça e as amarrou com a gravata, fiquei mais aliviada ao ver que ele usou o cinto para me prender na cama. Aliviada? Qual é ao meu problema. Bom ele poderia resolver me dar uma surra pelo que fiz hoje de manhã. Arregalei os olhos em entendimento. Liam estava se vingando pelo… “incidente” do telefone. E se eu for honesta comigo mesma tenho que admitir que estou adorando. Tentei puxar minhas mãos e vi que Liam as havia realmente imobilizado. Como foi que ele aprendeu a dar um nó desse? Não me lembro dele dizendo que era escot.. Woah! Liam foi direto ao ponto. Assim sem enrolação sem nenhuma enrolação ou aviso eu senti a língua dele em minha intimidade, e tenho que admitir que aquilo estava cretinamente gostoso. Não sei o que estava mais sensual, sentir a boca de Liam me massageando daquela forma ou o olhar filho da puta que ele me direcionava. Eu queria fechar os olhos mas não conseguia me desprender de seu olhar. Eu não conseguia nem ao menos encontrar minha voz pra gemer, era como estar em um transe. Um transe sexual chamado Liam Payne. Senti Liam me penetrar com um dedo enquanto circundava meu ponto de prazer com a língua. Ele brincava com seus dedos no meu interior me preparando para ele, droga que se fodesse a preparação, eu queria Liam dentro de mim logo , eu me sentia tão quente… Eu PRECISAVA dele dentro de mim ou eu tinha certeza que derreteria. Ali em seus braços. Liam voltou a sugar meus seios ainda me provocando com seus dedos e minha voz aparentemente lembrou que existia quando um gemido saiu de meus lábios.


– Quieta - Liam disse e enfiou mais um dedo em mim como que me desafiando a gemer, mordi meu lábio e ele me direcionou um sorrisinho - Boa menina.


Minha mente estava dividida entre insultar Liam com os piores palavrões que eu conseguisse pensar e gemer loucamente. Eu não podia fazer nenhum dos dois uma vez que eu não me encontrava em condições de pensar em nenhum palavrão e tão pouco podia gemer. Então eu fiquei ali, simplesmente sentindo e esperando o momento em que eu simplesmente entraria em combustão. Vi Liam colocar uma camisinha e internamente dei graças a deus, minha tortura estava chegando ao fim. Engano meu. Liam me segurou pelas coxas abrindo mais minhas pernas, e ficou ali, se esfregando em mim de um jeito filha da puta!


– Liam por favor… - Eu disse tentando não gritar e impulsionando meus quadris a seu encontro.


– Eu vou fazer o que eu quiser e quando eu quiser, agora quieta se não quiser que eu te amordace também - Liam respondeu calmo, como se estivesse falando sobre a droga da previsão do tempo. Enquanto me penetrava com a ponta de seu mebro, prendi a respiração fechando os olhos, mas os abri rapidamente quando ele simplesmente saiu. NÃO, NÃO, NÃO NÃO, VOLTA AQUI E TERMINA ISSO!


Liam ameaçava me penetrar, e em seguida saia, depois se esfregava em mim, e depois me provocava de novo e então me penetrou. De uma só vez e eu soube que se eu não explodi naquele momento não explodiria nunca mais. Foi completamente impossível controlar um gemido que se alguém escutou jura que é um grito de escapar por meus lábios ao senti-lo dentro de mim.


– Eu não disse que podia gemer - Liam disse e eu senti ele desferir um tapa em minha coxa. Um tapa forte, mas que sendo honesta foi mais gostoso do que doloroso.


Liam se movia intensamente dentro de mim, eu escutava o barulho de seus quadris contra os meus, e sua respiração arfante, sentia a firmeza com que me penetrava e que suas mãos passeavam por meu corpo. Era intenso. Muito intenso. Liam puxou uma de minhas pernas mais para cima e e me penetrou com força conseguindo me provar que dava pra ir ainda mais fundo. Senti sua boca colada em minha orelha.


– Agora você pode gemer - ele disse se enfiando novamente em mim.


Mas eu não tive tempo de gemer porque Liam roubou meus lábios em um beijo, tentei puxar minhas mãos mas a droga do nós estava muito bem feito, sendo assim tudo que pude fazer foi retribuir o beijo. Minha cabeça rodava e senti meu corpo se contraindo do modo característico do orgasmo, eu sentia Liam invadindo minha alma, e roubando minha boca. Eu era dele, simples assim. Rebolei meu quadril de encontro ao dele e foi a vez de Liam gemer contra meus lábios, e eu repeti o movimento só porque adorei escutá-lo gemendo. Nós nos entregamos um ao outro como nunca havia acontecido, e quando chegamos ao orgasmo juntos eu soube que era assim que tudo deveria ser, eu nos braços dele e ele nos meus.


Ele saiu de mim e eu me deixei apenas observar o quão lindo ele estava com aquele cabelo bagunçado pós-foda e o rosto afogueado. A forma como seu peito subia e descia em busca do ar que também me faltava. Meu deus eu poderia repetir isso pro resto da minha vida e desconfio que além. Ele foi até o banheiro creio que se livrar da camisinha, e voltou com um sorriso. Era meu Liam de novo. Ficou parado me olhando.


– Hãm… Será que agora pode me soltar? - Eu disse e tive que pigarrear porque minha voz não saia direito.


– Ainda estou decidindo, me agrada a ideia de você amarrada a minha cama pra sempre - ele sentou-se ao meu lado e deslizou a mão por meus braços - só pra mim, pro que eu quiser…
Eu arfei. Porra, proposta aceita. Mas ele riu e em seguida eu sentia meus braços sendo libertos, fiz uma careta ao sentir uma dor na região. Liam pegou e desamarrou-me da gravata e sem seguida depositou um beijo em cada pulso. Em seguida me puxou para um beijo inesperado, um beijo diferente. Não sei dizer, em que, apenas era diferente. Era um outro Liam que me beijava. Um Liam mais maduro, era o beijo de um homem e não do meu garoto. Mas quando ele partiu o beijo e me olhou, eu vi no seu sorriso doce que o meu Liam ainda estava ali. E como mágica eu tive certeza que me apaixonei mais por ele.

Imagine Niall


www

POV Niall

Era perto das 22:00 p.m, estava em um parque Mullingar pensando na vida, estava triste, me sentia sozinho, não sei, precisava de um tempo, estava sentado em um banco de madeira lembrando da minha infância quando eu “brincava” ali com o Michael kkkk era tudo tão bom, tudo tão simples, quando vi uma bela menina andando, parecia meio triste também com seu olhas perdido olhando as estrelas até que me viu e veio em minha direção, a não mais uma fã um hora dessas, nem aqui tenho sossego.

SN: Oi, você é o Niall né? Da One Direction.

“lógico que é, af que pergunta idiota” ouvi ela sussurrando pra si mesma e dei uma sorriso de lado.

Niall: sou eu sim.

SN: Er.. bem eu sou muito sua fã e.. – quando ela disse isso pensei que iria pedir uma foto ou um autografo, e sinceramente eu não estava de cabeça pra isso. – posso te dar um abraço?

Surpreendi-me com o pedido, mas abri meus braços e fiz um sim com a cabeça, depois disse senti suas mães geladas em meu corpo e sua respiração em meu pescoço, eu tenho que admitir que gostei, um abraço era realmente o que eu precisava naquele momento, fiquei perdido naquele cheiro doce mas não muito enjoativo do perfume dela até que senti lágrimas em meu ombro e olhei para sua face e v 2 lágrimas caminhando pelo seu belo rosto, com o meu dedo limpei-as e falei

Niall: não precisa chorar não minha linda. – ela sorriu envergonhada e pude perceber suas bochechas corarem. – Então como você se chama?

SN: me chamo (s/n) , er.. então eu tenho que ir se não minha mãe vai ficar preocupada.

Niall: aah, não pode ficar mais um pouquinho, queria conversar com alguém.

Bem, ela ficou como eu tinha previsto, mais não foi só um pouquinho, conversamos muito, sobre tudo,sobre minha vida antes e depois da fama, descobri que ela era brasileira que morava em Londres e estava passando as férias em Mullingar na casa da vó, quando vimos já eram 01:00 p.m

SN: Nossa, olha a hora minha mãe deve estar super preocupada. Preciso ir Niall tchau. – ela levanto do banco e já estava saindo.

Niall: espera, - e segurei seu braço – eu te levo, esta muito tarde para uma menina tão linda assim andar sozinha na rua – ela não falou nada só sorriu, um sorriso apaixonante, lindo, é muito cedo par dizer que eu esteja apaixonada, mas quem sabe o tempo não ajude.

Nós fomos andando até a casa dela, chegamos e tinha um bilhete na porta que dizia “ filha eu e seu pai saímos com sua tia para festa daquela amiga minha de infância e voltamos amanhã na hora do almoço, se cuida. Mãexx”

SN: Pois é, mais uma noite sozinha. – ela foi abrindo a porta e quando ia se despedir simplesmente saiu da minha boca.

Niall: eu posso ficar se você quiser – senti minhas bochechas corarem na hora, o que eu tinha na cabeça? Eu mal conheço a garota – er... claro, pra você não ficar sozinha, eu... er é meio, que podia te fazer companhia.

SN: Não precisa se incomodar comigo, eu to bem.

Niall: não eu insisto, não vou ficar tranquilo, sabendo que te deixei sozinha.

SN: Er, então tá, só não liga para a bagunça hehe

A gente entrou e resolvemos ver um filme, como a casa não era dela só tinha filme de terror e ela não gostava muito, mas resolvemos assistir o chamado já que na capa não parecia tão assustador, mas só na capa mesmo.

SN arrumou tudo tão fofinho na sala, adoro o jeito dela, meigo, fofo, atrapalhado kkk

SN: Pronto pode vir.

O sofá era meio que um sofá-cama ela arrumou cobertas e travesseiros para a gente.

Sn: vai se ajeitando ai que eu vou fazer pipoca.

Ela trousse a pipoca, colocou o filme e foi para debaixo das cobertas comigo, eu tinha que admitir que estava adorando aquilo, era muito engraçado quando ela se assustava ela ia chegando mais perto de mim, até que em desses sustos ela deu um leve grito, cheguei perto dela, abracei-a e sussurrei “não fique com medo princesa, seu príncipe vai te proteger de todos os monstros” e assim terminamos de ver o filme e dormimos.

No outro dia acordei e vi a linda menina dormindo, não queria acordar então deixei um bilhete para ela “adorei te conhecer princesa, me liga pra gente combinar de sair (____-____) xoxo Niall ou se preferir seu príncipe xx”

Niall: Depois dessa manhã, conversamos todos os dias, e começamos a namoras, e foi assim meu pequeno que eu conheci a mamãe.

Davi: awn que lindo papai.

SN: DAVI, VEM LOGO TOMAR BANHO.

Ela apareceu na porta do quarto com aquele mesmo olhar perdido de anos atrás, com aquelas bochechas ainda coradas e com aquele jeito dela, a agora eu tenho certeza, essa é a mulher de minha vida.

Imagine Liam


Sua família está viajando de férias contra sua vontade, você está muito chateada no seu assento na classe executiva quando decide ir ao banheiro, no caminho até ao banheiro você esbarra em alguém e os dois levam ...
um tombo esta pessoa levanta e te diz: "Desculpa, mil desculpas, eu não tava prestando atenção, desculpa, por favor" Você: "Não tem problemas, eu nem queria estar nessa viagem mesmo"
Esta pessoa te levanta e só aí você consegue perceber que é o Liam Payne, ele está te olhando com uma cara estranha e você diz: " o que foi?" Ele: "Oh meu Deus, você está machucada, vem vamos colocar um gelo nisso" Ele te puxa pela mão e te leva até uma aeromoça, ele pede o gelo e ela vai colocar na sua testa até que ele diz: "senhora, deixe que eu cuido dela" Ele cuida de você com o maior carinho
e depois diz: " Nisso tudo eu nem pude falar o quanto você é linda, sabia?" Você:" Muito obrigada, você também é" Ele: " Qual seu nome?" Você:" (s/n) e o seu nome eu já sei Liam James Payne, da 1D" Ele:" Então quer dizer que a senhorita é uma directioner?" Você:" Tá brincando, eu sou doida por vocês, mas não aquele tipo de fã que grita quando vê vocês porque eu sei que isso é chato"

Imagine Hot Niall



Sua mãe trabalha no centro de NY como fotógrafa, um dia anterior ela tinha feito uma sessão de fotos com a One Direction, que você simplesmente A-M-A. Ela te liga e diz que não vai poder jantar com você pois Niall iria ao escritório ajustar alguns detalhes de photoshop com ela. É Claro que você não perderia a oportunidade de ver NIALL JAMES HORAN de pertinho, então vai até o escritório dela. A sua surpresa foi que Niall chegou com você. Você mal conseguia sentir as pernas, ele realmente era lindo e os olhos extremamente azuis, eram a coisa mais excitante que você já tinha visto
 - Que andar? - Você ouve aquela voz… Quase esquece de responder.
 -106. - Você responde.
 - Eu também. - Diz Niall sorrindo pra você. 
 Quando vocês estavam no 53º andar o elevador dá uma sacudida, fazendo vocês dois perderem o equilíbrio e colarem um no outro.
-Desculpe - Ele diz rindo

Imagine Hot One Direction



Você estava em uma festa na casa de sua amiga, a festa estava bombando, quase não dava para andar, de tanta gente que tinha, você mal podia falar com sua amiga, o som estava muito alto, você mal conseguia ouvir a voz dela.

Você pegou uma bebida e foi se sentar lá fora com umas colegas que você encontrou lá, e ficaram conversando por um bom tempo, vocês falaram sobre garotos, escola, fofocas, amigos, moda, etc.

Depois de alguns minutos você viu 5 garotos muito lindos passando por você, você percebeu que eles repararam em você, mas continuaram andando pra dentro da festa.

Você ficou olhando para eles até que eles desapareceram no meio da multidão.

Imagine Zayn


www

Você estava no colégio, na aula de biologia, era o primeiro dia depois das férias de julho então iriam arranjar novos parceiros de laboratório.


Professor: Zayn Malik – olhou e apontou para um menino rodeado de garotas – você fica com a (seunome)




POV Seunome

“Meu Deus ele não, eu sei que deveria estar feliz por fazer dupla com o “ gatinho do Zayn Malik da banda One Direction OMG” é o sonho de todas as meninas, e o meu também, porque digamos que eu sou uma fã, mas eu sou tímida demais, não que eu seja a excluída, não ainda bem mas, toda a vez que falo com o Zayn eu travo, meio que ele é o meu “Preferido” da banda e...” – seus pensamentos foram interrompidos por uma voz grossa.

Imagine Niall


Estava amanhecendo, e eu continuava dormindo, mesmo sabendo que tinha que me levantar. O sol entrou pela janela, e me bateu bem certeiro nos olhos. 
- Ah, mas que droga! Por que que eu não fechei a janela? - Falei
Me levantei e fui fechar a janela, e voltei pra cama. Eu tinha mesmo que levantar, hoje eu vou viajar para a cidade da minha avó. Na verdade, eu n
em quero ir, é no meio do nada, apenas campo. Não é que eu não goste, tem até um pequeno rio, onde posso dar uns mergulhos, mas mesmo assim, vou ficar longe de tudo. Não é que eu tenha muito a que me agarrar aqui...
Um tempo depois, já estava ouvindo minha mãe berrando:
- Mas ainda está dormindo? Sabe que horas são?

Imagine Zayn


Você morava em Londres a mais ou menos um ano. Morava sozinha e tinha alguns amigos por causa da faculdade. Cursava moda e vivia em desfiles, e quando não estava neles estava em casa/faculdade desenhando roupas, criando tendências e acompanhando tudo no ‘grande mundo da moda’. Seu sonho era criar uma grande marca e ser reconhecida pela dedicação ao seu trabalho. Certo dia
 estava na faculdade, mas não tinha nenhuma aula naquela manhã, só estava lá desenhando sentada em um dos jardins. Seus amigos disseram algo de ‘há famosos no campus’ e foram para suas respectivas aulas. Você achou que era brincadeira continuando a desenhar. Até que alguém chega correndo e esbarra em você fazendo você borrar todo seu desenho, você começa a falar alguns xingamentos em português olhando para o seu desenho todo borrado, nem presta atenção em quem havia feito aquilo.

Imagine Hot One Direction




Resolvi dormi até mais tarde hoje, pois era sábado e não teria que ir para a escola, então não tenho que me preocupar com o relógio. Estava dormindo tranquilamente em meu quarto quando sinto alguém pulando na minha cama, era meu irmão mais novo. Eu odiava ele, quer dizer, eu não odiava ela mas também não morria de amores, eu já estava nervosa com ele pulando em mim.

-Oque você quer seu chato?- disse sem abrir os olhos.

-A mãe mando você levantar agora.- ele parou de pular.

- Eu não vou levantar cedo hoje. É SÁBADO.- coloquei a coberta no meu rosto.

-A mãe falo que você tem que levantar agora, se não você vai se atrasar pro aniversário.

-Que horas é agora?- disse tentando me levantar da cama.

-Já são 13:00 horas.

-Oque? Já?- dei um pulo da cama

-Agora você resolve levantar. Agente ta te esperando para almoçar.- ele disse saindo do meu quarto.

-Tudo bem.

Demorei uns 2 minutos para levantar da cama, fui para o banheiro e tomei um banho bem rápido, voltei para o meu quarto e comecei a escolher uma roupa, pois eu ia no aniversário da minha ”querida prima”, eu não gostava dela nem um pouco, ela se achava melhor que todo mundo e era uma patricinha de marca. Hoje era seu aniversário de 16 anos e ela resolveu fazer um churrasco para comemorar, infelizmente ela já tinha 16 anos de viva. Resolvi colocar uma roupa bem simples, vesti um short jeans claro, uma blusa branca com várias caveiras douradas e uma sandália dourada, não estava animada para arrumar o meu cabelo então resolvi deixar ele solto mesmo e resolvi fazer uma maquiagem bem simples, passei só um rímel, um lápis e terminei com um gloss. Eu já estava pronta então resolvi descer para almoçar. Cheguei na cozinha e já estavam todos almoçando.

-Você estava demorando muito então resolvemos almoçar.- disse minha mãe já sentada na mesa.

-Tudo bem, não estou muito afim de almoçar mesmo- me sentei ao lado da minha mãe.

-Mas tem que almoçar.- minha mãe disse me olhando.

-Ta bom.

Minha mãe colocou a comida em meu prato e eu fui obrigada a comer, durante o almoço não falei nada só fiquei quieta e tentava empurrar a comida em minha boca e era obrigada a engolir. Terminei de almoçar e fui para o banheiro escovar o meus dentes. Minha mãe me gritou que daqui a pouco nós iriamos para o churrasco, sai do banheiro e fui para o meu quarto, resolvi ligar meu computador e entrar no meu Tumblr, rebloguei algumas coisas e minha mãe me gritou que já estava na hora de irmos. Desci as escadas e já estava minha mãe, meu pai e meu irmão na porta me esperando. Peguei meu celular e meus fones que estavam em cima da mesa, saímos de casa e entramos no carro, coloquei meu fone e acabei cochilando, quando chegamos no churrasco minha mãe me acordou, arrumei meu cabelo antes de sair do carro e seguimos em direção a casa, entramos e fomos dar parabéns para ela, eu fui obrigada a dar feliz aniversário a ela. Sai de perto dos meus pais e resolvi ir sentar em um banco que tinha perto da casa dela, estava toda distraída quando vi 5 lindos meninos passando na minha frente, olhei para ele, mas nem dei muita confiança pois eles nunca iam me notar ali, continuei sentada escutando musica e mexendo no celular, de repente alguém sentou do meu lado, nem liguei pra pessoa e continuei com a cabeça baixa, senti alguem colocando a mão no meu ombro e eu levantei a cabeça. Era um menino de cabelo preto e com um topete gigante, ele estava olhando dentro dos meus olhos.

-Oi.- ele me disse fazendo eu levantar a cabeça.

-Oi.- olhei para ele.

-Porque está aqui sozinha?

-Estou desanimada hoje.- abaixei a cabeça de novo.

-Posso fazer alguma coisa pra te animar?- disse levantando a minha cabeça.

-Acho que não.

-Mas eu acho que sim.- disse levantando do banco.

-Como?

-Vem comigo.- ele esticou o braço para mim.

-Pra onde?

-Vamos. Você vai gostar.

-Ta bom.

Peguei na mão dele e fomos andando para uma casa, entramos e vi os outros meninos que estava com ele mais cedo, me sentei no sofá e ficamos conversando, descobri que o menino que estava conversando comigo se chama Zayn, e que seus amigos chamam-se Liam, Harry, Louis e Niall, descobri também que eles tinham uma banda que ainda esta no começo da carreira. Fiquei conversando com eles por quase 1 hora, de repente Zayn me chamou na cozinha, me levantei e fui ver oque ele queria. Quando cheguei na cozinha ele estava encostado no balcão.

-Oque foi Zayn?- disse meio confusa.

-Eu precisa tirar você de lá.

-Porque?

-Para eu fazer isso.

Ele me puxou pela cintura e começou a me beijar, nossos beijos foram ficando cada vez mais intenso, ele tirou sua blusa e logo depois tirou a minha. Ele já estava só de cueca e eu só de short e sutiã, quando os outros meninos chegam na cozinha, peguei minha blusa correndo e tampei meu sutiã.

-Não precisa tampar nada.- disse Harry.

-Acho melhor vocês irem para outro lugar.- disse Liam

-Eu também acho. Vamos?- Zayn disse pegando suas roupas.

-Eu não concordo.- disse Harry.

-Porque não?- perguntei confusa.

-Por que eu também quero participar da festinha.- disse Harry.

-Só se ela topar.- Zayn disse olhando para mim.

-Como assim? Com os dois?- fiquei olhando eles.

-Só os dois não.- disse Louis

-Só os três também não.- disse Niall

-E você Liam?- Harry perguntou para ele.

-Se todo mundo vai eu também quero.- disse Liam.

-Quer dizer então que os 5 querem que eu transe com vocês?

-Sim.- eles disseram ao mesmo tempo

-Não acho isso certo.- disse meio pensativa

-Ah para, vai ver maravilhoso. Você vai ter 5 garotos ao mesmo tempo. Topa?- Harry disse com um sorriso bem malicioso.

-Tudo bem, eu topo. Estou precisando esquecer um pouco da vida. Tudo bem pra você Zayn?

-Tudo sim.- Zayn disse me dando um selinho.

Harry me pegou no colo e subiu as escadas comigo, entramos em um quarto que tinha uma cama king (ainda bem, porque 6 pessoas em uma cama, mesmo sendo de casal não ia caber), Harry me deitou na cama e ficou por cima de mim, ele começou a tirar a meu short me deixando só de roupa intima, ele tirou toda a sua roupa e depois foi tirar oque ainda restava em mim. Quando olhei em volta todos os meninos já tinham tirado suas roupas. Harry saiu de cima de mim e Zayn ficou no lugar dele, ele começou a me beijar e a lamber meu pescoço, aquilo estava me deixando louca, ele começou a acariciar meus seios até que ele começou a chupa e morde o bico do peito, isso era bom demais, ele afastou um pouco a minha perna e começou a me penetrar, ele sabia oque fazer. Zayn deitou na cama me colocando em cima dele e Harry veio por trás, primeiro ele deu um beijo nas minhas costas e depois me penetrou por trás, no começo eu estava sentindo um pouco de dor mas depois eu me acostumei e foi ficando cada vez melhor. Louis e Niall subiram na cama e começaram a chupar meus seios e eu estava gemendo muito alto, aquilo tava muito bom, eu gemia cada vez mais alto até que Liam começou a me beijar e abafou os meus gemidos, Liam pediu para eu chupar seu pênis e assim eu fiz, enquanto Zayn e Harry me penetrava, Louis e Niall chupava e mordia meus seios e chupava Liam, ficamos assim por uns 5 minutos até que eles resolveram trocar de posição. Agora Liam estava deitado e penetrando pela frente enquanto Louis me penetrava por trás, Harry e Zayn estavam chupando meus seio e eu estava chupando Niall, ficamos assim por um tempo e eles trocaram de novo, eles ficaram se revesando e no final ele pararam de me penetrar e pediram para eu chupar os 5. Eu fui chupando um de cada vez fazendo eles gozarem , mas Harry e Liam queriam mais. Harry deitou na cama e eu sentei em seu membro novamente enquanto chupava Liam. Harry gozou e saiu da cama, mas Liam ainda queria mais.

-Vamos continuar só nós dois agora?- dis/se Liam

-Vamos. Vocês ligam meninos?

-Claro que não.- eles disseram juntos.

-Vamos esperar vocês lá em baixo.- disse Harry saindo do quarto.

Agora só estava eu e Liam no quarto, ele começou a me beijar e começou a descer pelo meu corpo, chupou meus seios e foi para o meio das minhas pernas, ele me chupava como nenhum outro já tinha feito, eu estava indo a loucura, enquanto chupava ele enfiou 2 dedos para ajudar, aquilo era muito bom e eu comecei a me contorce na cama, pensei que ia quebrar a coluna de tanto que eu me inclinei para trás. Ele parou e voltou a chupar os meus seios, depois foi subindo e começou a me beijar intensamente, ele pediu para eu voltar a chupar seu membro então eu deitei ele na cama e comecei fazendo movimentos devagar e depois fui aumentando a velocidade, ele gemia de tesão e isso fazia tudo ficar melhor, de repente ele me puxa pra cima dele e começa a me penetrar, agente fica assim por um bom tempo até que ele me deita na cama e começa a me penetrar mais rápido, chegamos ao climax juntos. Cai exausta sobre seu peitoral e ele ficou passando a mão no meu rosto, eu não conseguia levantar, meu corpo todo doía, mas também, fiquei a tarde toda transando com 5 meninos. De repente eu me lembrei que eu tinha que ir embora, meus pais deviam estar doidos atrás de mim.

-Liam eu preciso ir.

-Porque?- ele disse com uma voz triste

-Porque meus pais devem estar preocupados.

-Tudo bem.

Me levantei da cama e vesti minha roupa, desci as escadas e vi os meninos sentados assistindo televisão, quando eles me viram a deligaram e vieram correndo em minha direção, perguntando se eu tinha gostado, quem tinha sido melhor, se eu ia voltar outro dia.

-Calma meninos, uma pergunta de cada vez. Eu adorei oque eu fiz hoje, e não teve melhor nem pior, vocês foram maravilhosos e eu não sei quando eu volto.

-Então passa seu número para podermos marca a próxima.- disse Zayn.

-Mas na próxima o Liam não vai ter bônus.- disse Harry fazendo bico.

-Porque não?- disse Liam

-POR QUE NÃO.- eles disseram juntos

-Agora eu tenho que ir embora.

Dei um selinho em cada um, passei meu número e saí da casa, fui andando em direção a casa da minha prima e os convidados já estavam indo embora, cheguei quietinha perto dos meus pais e fui me despedir dela.

-Gostou do churrasco?- disse minha prima

-Essa foi a melhor festa que eu já foi na minha vida.

Estava indo em direção ao carro quando vejo os 5 do outro lado da rua dando tchau, dei tchau para eles e entrei dentro do carro, fiquei a viagem toda calada, quando cheguei em casa fui direto para o meu quarto, tomei um banho e deitei na cama, eu estava exausta, nem cinco minutos depois eu já estava dormindo. Acordei no outro dia umas 2 horas da tarde com o meu celular apitando igual um louco, quando vi era uma mensagem, mas eu não reconheci o número, abri para ler e estava escrito assim ” Ontem foi maravilhoso e da próxima vez vai ser melhor ainda. Oque você de nós marcamos a próxima de uma vez? Liam ” eu respondi a mensagem e marquei de encontrar eles no próximo sábado, e eu tenho certeza que vai ser tudo muio bom de novo.

Imagine Hot Harry e Niall




Eu e Harry tinham esse tipo de “amizade colorida”. Digo, amizade no dia-a-dia,  e sexo entre quatro paredes. Todos sabiam (com todos, quero dizer os meninos).


Nesta outra tarde, nós estavam no apê dele. Eu vidrada na TV, e ele caçando algo na cozinha.

- Vou tomar banho. -Harry falou.

- Vai na fé. -respondi, sem tirar os olhos da TV.

- Não quer vir me ajudar? -perguntou, num tom um tanto malicioso.

- Você acha mesmo que eu vou perder meus lindos do McFly, pra ver essa tua minhoquinha?

Imagine Hot Liam




Eu estava sentada no sofá da minha casa, a qual eu dividia com meu namorado, Liam. Já eram oito da noite e precisava fazer o jantar, mas não conseguia largar meu notebook! Eu sei que é estranho comigo conhecendo eles e até namorando com um dos integrantes, mas eu gosto de, de vez em quando, acessar os blogs de Directioners para ler alguns imagines e fan fictions do One Direction. ~risos~
Liam: (S/N)! - ele gritou da cozinha. Na verdade, nem sabia que ele já tinha chegado!
(S/N): O QUE FOI LIAM? - gritei de volta.
Liam: ME AJUDA AQUI?
(S/N): AI, AMOR! EU TO LENDO!
Liam: (S/N)!
(S/N): TÁ, SEU CHATO! - me levantei, deixando o notebook em espera em cima da mesinha de centro.
Fui chegando na cozinha e...
(S/N): Liam! O que é isso?! - disse olhando aquela bagunça.
Liam: Bem...

Imagine Hot Niall



Eu deixei minha cabeça pender sobre os livros que estavam em cima de minha carteira e fechei os olhos com um suspiro. Escola era um saco. Pra quê estudar? Quando chegasse a noite eu já esqueceria tudo que aprendera o dia inteiro. Os professores sempre usam a desculpa de “Que vai cair no vestibular” e sim, algumas coisas realmente caem, mas eu não preciso passar um semestre aprendendo… Logaritmo, por exemplo! Nunca vou usar isso! A imagem de alguém aparecendo na padaria e pedindo: “Oi, poderia me ver um log61 de pão francês, por favor?” era meio que impossível. Eu levantei a cabeça e encarei minha professora de português. Eu estava tendo uma dor de cabeça das boas dentro da sala de aula. Sentia meus neurônios explodindo dentro da cabeça e provavelmente a sala inteira se sentia da mesma maneira, por que aos poucos, alguns alunos foram soltando desculpas para saírem da sala, como por exemplo: “Estou passando mal”, “Professor, posso atender meu celular?” ou “Vou vomitar!”.

Imagine Hot Harry



Harry’s POV

Entrei na casa dela sem saber exatamente por que. Não Harry, pare de se iludir, a razão é que você não consegue mais tirar ela do pensamento. Lembrei-me de hoje mais cedo, quando ela entrou na sala com toda sua imponência e todos os homens da sala a olharam com desejo, naquele momento eu queria possuí-la ali em cima da mesa, sem me importar com quem quer que nos visse. Niall que sabia de minha situação apenas riu... Era completamente estranho estar apaixonado pela irmã de um dos meus melhores amigos. A garota que deveria ser como minha irmã mais nova, uma vez que era assim que ela me tratava. Como um irmão. Eu diria que a casa estava vazia se não fosse um barulho vindo da cozinha e um do quarto de dela. Andei até meu quarto jogando as roupas que eu vestia lá, ficando apenas com a boxer como de costume e fui até o imenso quarto dela tentando ignorar a convidativa cama, me aproximei da porta do banheiro e pensei em bater, levantei a mão e parei no meio do caminho quando um som atingiu meus ouvidos. Um gemido. Um gemido baixo e contido, mas que foi o suficiente para fazer meus sentidos despertarem, será que tinha alguém lá dentro com ela? Eu sabia do risco, mas ainda assim eu entrei. Abri a porta suavemente e entrei andando a passos silenciosos. Nunca. Nunca em toda a minha vida eu havia visto uma cena tão sexy. A garota estava com as costas coladas a parede, a água escorria por seu corpo me fazendo sentir inveja. Ela tinha dois dedos dentro de si, enquanto a outra mão acariciava o próprio seio, mais um gemido foi ouvido e eu olhei para seu rosto. Ela tinha uma expressão de sofrido prazer, como se aquilo fosse errado, mas ela estava encantadoramente linda, e extremamente sexy ao mesmo tempo. Os olhos fechados fortemente, a boca entreaberta, as bochechas levemente coradas... tudo nela era provocante. Fiquei estático sentindo meu corpo formigar, eu sei que não devia ficar ali, mas simplesmente não conseguia sair, a excitação já havia me envolvido também, e percebi que ela aumentava cada vez mais o movimento de sua mão, foi então que eu ouvi. Em alto e bom som, “Harry” em meio a um gemido. Aquilo foi tudo que eu precisava pra ficar completamente duro. Era em mim que ela pensava. Era meu toque que ela queria, meu corpo que ela desejava. Joguei minha cueca longe e sem pensar duas vezes entrei no box. A garota abriu os olhos assustada e seus olhos azuis se encontraram com meus olhos verdes. Ela tirou a mão de dentro de si rapidamente e abaixou a cabeça. Eu cobri a distância que havia entre nós. A segurei pela cintura prendendo seu corpo entre o meu e a parede. O corpo dela pegava fogo e eu tive que me controlar pra simplesmente não invadi-la com minha masculinidade e acabar com o desejo de ambos. Ela não olhou pra mim. Tirei uma mão se sua cintura subindo por seus braços que se arrepiaram imediatamente me fazendo sorrir. Acariciei seu ombro e seu pescoço, até que cheguei em sua face que continuava voltada para o chão, acariciei suas bochechas e em seguida segurei seu queixo e a obriguei olhar pra mim. Ela fechou os olhos e uma lágrima escorreu me fazendo franzir o cenho. O que foi anjo?- eu perguntei baixinho secando a lágrima com uma mão enquanto fazia carinho em sua cintura com o polegar. Eu... Desculpe- ela abaixou a cabeça novamente e eu sorri.Ela é virgem. Uma voz ecoou em minha mente. Ela podia ser a toda poderosa senhorita Horan no dia a dia da empresa. A inalcançável, e inabalável, mas na verdade era apenas uma garota meiga e isso era uma das coisas que mais me encantavam nela. Fechei os olhos respirando fundo tentando controlar meus próprios desejos. Eu havia sido o primeiro a beija-la e seria o primeiro a possui-la, a ideia de estar dentro dela fazia cada mínima célula de meu corpo clamar por ela. Sai de meus devaneios e acariciei sua face novamente.< Desculpa porque? - Eu falei baixinho. Por isso... Eu não tenho direito de... pensar essas coisas sobre você! Eu... Desculpe Harry!- ela disse e fez menção de se afastar de mim.
– Harry, é errado- ela disse e me parecia que ela tentava convencer a si mesma.
– Hey, nós somos amigos, não irmãos- eu disse lhe dando mais um selinho.
– Mas Harry...
– Shh... – eu disse baixinho em seu ouvido e em seguida mordi o lóbulo de sua orelha quando ela tentou se afastar- Não faz isso, não se afasta de mim... Eu preciso de você ... Me deixa te amar, me deixa te fazer minha- eu disse e fiz uma leve pressão em seus quadris com o meu e ela soltou um leve gemido – não pensa, só me deixa te fazer minha... Vem comigo.
Olhei para ela e vi que seus olhos ardiam, ficamos ali, apenas nos olhando enquanto a água caia sobre nossos corpos, eu temia a resposta dela, eu não aguentaria não tê-la, e quando eu já não sabia mais o que fazer ela reagiu. Observei - a soltar o ar pesadamente e me olhar. Um sorriso se abriu em seus lábios ao mesmo tempo em que passava os braços ao redor de meus ombros, a vi aproximar o rosto de meu ouvido e a respiração quente dela de encontro a meu pescoço foi meio que demais pra mim.
– quero que me faça sua Harry.- ela falou baixinho e depositou um beijo tímido em meu pescoço. Estávamos perdidos, mas tudo bem pois estávamos perdidos nos braços um do outro.
Eu a beijei novamente, dessa vez um beijo cheio de desejo por ambas as partes, ela enroscou os dedos em meu cabelo e me puxou para mais perto fazendo qualquer distancia que ainda existia entre nós sumir, nossos corpos se encaixaram, principalmente nossos quadris. Eu massageava a língua dela enquanto minha mão apertava sua nuca. Eu tentava me manter focado, era a primeira vez dela, tinha que ser perfeita. Deixei a sua boca, se eu continuasse a beijá-la tudo iria terminar antes do tempo. Desci minha boca para seu pescoço novamente e senti a pele sensível se arrepiar sob meus lábios, desci minha boca para seus ombros, beijei e mordi tudo que conseguia alcançar, havia um lado meu que queria deixa-la marcada, que queria mostrar ao mundo que eu havia sido o primeiro a possui-la, um lado que fervia só de imaginar outra pessoa a tocando tão intimamente. Mas havia um lado que queria ama-la, um lado que nunca havia se manifestado em mim, que me fazia querer dar prazer a ela, faze-la ver o quão linda e sensual ela era, que queria faze-la se sentir a única mulher do mundo, o que de fato ela era pra mim. Desci meus lábios pelo colo, quantas inúmeras vezes eu não havia sonhado com isso ao observar seus decotes? Meus pensamentos apenas me excitavam cada vez mais. Olhei para o rosto dela e vi ansiedade em seus olhos, ela queria que eu a tocasse, e eu queria toca-la, não prolonguei nossa tortura. Voltei a beijar-lhe os lábios com calma, brincando um pouco com sua língua. Apartei o beijo e olhei em seus olhos enquanto descia minha cabeça em direção a seus seios, segurei um deles com minhas mãos, encaixe perfeito. Acariciei levemente o pedaço de carne e a vi arfar, eu me permiti sorrir de canto antes de envolver o outro com os lábios. Um gemido dela chegou a meus ouvidos fazendo com que eu me arrepiasse e acabasse sugando seu seio ainda com mais vontade enquanto meu polegar brincava com o outro mamilo, ela soltava pequenos gemidos que soavam altamente sensuais aos meus ouvidos. Eu passava a língua ao redor do mamilo dela, mordia levemente e ela se contorcia um pouco fazendo com que seu quadril se esfregasse no meu arrancando alguns suspiros de mim. Brinquei com um mamilo até que ele estava completamente rígido, fiz a mesma coisa com o outro, sem conseguir tirar os olhos da face da garota em meus braços. Voltei a beijar seus lábios enquanto fazia pressão com meu corpo no dela, tirei a mão de seu seio e a desci levemente pelo corpo que parecia ter feito sob medida para se encaixar ao meu, acariciei com a ponta dos dedos por toda a extensão da barriga dela, fui desenhando os contornos de seu corpo sem pressa enquanto a beijava confesso que com mais urgência do que eu queria demonstrar. Acariciei a lateral de seu corpo, o quadril, a barriga novamente, o baixo ventre e desci minha mão até suas coxas apertando levemente, afastei gentilmente as pernas dela e toquei sua intimidade sentindo meu membro latejando, tentei ignorar me focando nela. Passei meus dedos pelos grandes lábios suavemente e a vi morder os lábios tentando conter um dos gemidos que eu tanto amava, abri os grandes lábios e a acariciei mais a fundo, não haviam palavras no mundo pra descrever o quão excitante era senti-la, era quente e estava pulsando, ansiava por algo mais, pedia por mim. Encontrei seu clitóris e o pressionei levemente, e a assisti morder os lábios com mais força ao mesmo tempo que fechava os olhos com força, eu queria ouvi-la gemer, eu precisava, continuei acariciando o ponto sobre meus dedos e tudo que consegui foi arrancar alguns suspiros pesados dela, eu sorri levemente, sem aviso nenhum eu deslizei um dedo para seu interior, ela soltou um sonoro gemido de puro prazer que me tirou totalmente do sério, ela voltou a morder os lábios já marcados em uma tentativa de se manter calada, aproximei minha boca de seu ouvido enquanto passava a língua pelo lóbulo e em seguida o sugava.
Eu sussurrei o nome dela parando meus movimentos e recebendo um franzir de cenho como protesto.
– Hum?- foi tudo que ela me respondeu meio atordoada eu ainda mantinha meu dedo dentro dela.
– Foca em mim, esquece o mundo lá fora- eu falei em meio a mordidas em seu pescoço, colei bem minha boca a sua orelha de forma que meus lábios roçavam o local conforme eu falava - Pare de se controlar, eu quero ouvir você gemer- eu falei ao mesmo tempo que deslizava mais um dedo para dentro dela e voltava a movimentá-los. Ela soltou um sonoro gemido que saiu perto demais de meu ouvido me fazendo gemer junto, aumentei a velocidade de meus dedos, acariciando-a por dentro, preparando-a para mim. Voltei a sugar seu seio enquanto a masturbava e fui recompensado com os gemidos mais deliciosos que alguém poderia dar. Quando ela se contraiu em minha mão soltando um longo gemido ao mesmo tempo que se empurrou mais a direção de meus dedos eu senti que não aguentaria mais, eu precisava tê-la e seria agora. Retirei meus dedos de dentro dela e desliguei o chuveiro, ela me olhou encantadoramente confusa, eu lhe dei um beijo esfregando meu quadril no dela e ambos gememos com o contato.
– Segure-se- eu disse quando a envolvi com os braços pela cintura e a forcei para cima. Ela entendeu o recado e segurou-se em meus ombros passando as longas pernas ao redor de minha cintura, saí do box com cuidado e voltei a beijá-la para não perdermos o clima, coisa que eu achava impossível. A deitei na cama e me deitei suavemente sobre ela sem soltar meu peso, voltei a beija-la , ela deslizava suas mão por meus ombros de maneira inocente e enlouquecedora. Soltei um gemido alto quando suas unhas arranharam meu baixo ventre, eu realmente não aguentava mais. Estendi a mão até seu criado mudo, aonde eu sabia estar uma das camisinhas que eu havia dado pra ela de brincadeira, rasguei a embalagem com os dentes e joguei em qualquer canto do quarto, coloquei rapidamente e eu a percebi acompanhar meus movimentos ao mesmo tempo que corava violentamente. Me debrucei novamente sobre ela e voltei a sugar seu seio com vontade brincando com o mamilo entre os dentes e arrancando novos gemidos. Me posicionei entre suas pernas e percebi ela ficar tensa.
– Relaxe, eu não quero te machucar- eu disse e voltei a chupar seu pescoço.
Depositei beijos e mordidas aonde pude, e movimentei meu quadril, esfregando meu pênis que a essas alturas doía de vontade de possui-la em sua entrada o que arrancava gemidos de ambos. Levei minhas mãos até seus seios e fiquei ali a provocando, eu a sentia cada vez mais molhada e isso me deixava louco, rocei a cabeça em sua entrada e ela cravou suas unhas em meus ombros o que me fez gemer de dor e prazer, fiquei assim por mais um tempo, torturando ambos até que ela empurrou o quadril contra o meu.
– Harry, eu ... preciso de você...- ela sussurrou me olhando nos olhos pela primeira vez sem que eu pedisse. Aquilo foi o fim da linha.
Eu não disse nada, apenas a segurei pelos quadris enquanto a beijei, ainda esfreguei meu quadril no dela mais uma vez, até que finalmente me encaixei em sua entrada e me empurrei para dentro dela junto com um gemido longo. Ela enfiou o rosto em meu pescoço e cravou as unhas brutalmente em meus ombros arrancando outro gemido meu. Fiquei ali parado dentro dela até que ela se acostumasse com a sensação, puxei seu rosto de forma que eu pudesse olha-la e senti uma pontada no peito ao ver seus olhos cheios d’água.
– O que foi? Eu te machuquei?- eu disse preocupado.
Ela não respondeu, apenas faz que não com a cabeça ainda de olhos fechados. Eu a sentia pulsando contra meu membro, desci meus lábios sob os dela, fiz o contorno dos lábios delicados que se encontravam vermelhos com a ponta da língua, suguei e puxei o lábio inferior dela e a senti suspirar. Foi a minha vez de não conter um gemido tão alto que poderia ser considerado um grito quando ela começou a mover o quadril contra o meu. Era lento e tortuoso, enlouquecedor. Fechei meus olhos com força e ela assumiu o controle da situação, a deixei estabelecer o ritmo que podia aguentar, ela me puxou pela nuca e me beijou, o beijo mais cheio de desejo que eu já havia experimentado. Sua língua se enroscava na minha, provocando, explorando minha boca, os lábios inchados que sugavam os meus de forma tão sedutora que arrancavam gemidos de mim, suas mãos ainda passeavam por minhas costas e seu seio provocava uma sensação deliciosa quando se roçava em meu peito conforme ela se movimentava. Eu precisava de mais, aquilo era muito torturante. Levei minhas mãos novamente até a cintura dela que me sorriu como resposta, o brilho em seu olhar me tirava a pouca sanidade que eu tinha. A segurei fortemente pela cintura e ela mordeu meu lábio quando eu sai completamente de dentro dela, nós dois gememos alto quando a penetrei de uma só vez, me ajoelhei entre suas pernas e levantei um pouco seu quadril, eu aumentei a velocidade e fechei os olhos deixando a cabeça pender pra trás, aquilo era delicioso, era como uma droga, cada vez eu precisava de mais. Comecei a estocar mais forte e a cada gemido absurdamente sensual que ela soltava eu estocava mais forte e mais rápido, senti que estava chegando a meu ápice e diminui a velocidade bruscamente, minha prioridade era ela. Ela cravou as unhas em minhas coxas em protesto e eu ri. Levei uma mão até seu seio e o massageava na mesma velocidade lenta com que eu entrava e saia de seu interior, ela rebolou o quadril contra o meu e eu gemi enquanto a estocava fundo. Ela literalmente gemeu meu nome impaciente quando fiz isso. Deitei-me novamente sobre ela e a olhei nos olhos.
– Diz de novo..- eu falei selando nossos lábios. Saí por completo dela e a penetrei com força fazendo ela gemer alto- ande, quero ouvir você gemer meu nome- eu falei enquanto me empurrava lenta mais profundamente para seu interior fazendo-a cerrar os olhos em uma expressão de puro prazer.
– Harry – ela gemeu e novamente eu a estoquei profundamente – por favor...
– Por favor o que?- eu disse rodeando seu mamilo com a língua diminuindo ainda mais a velocidade de meus movimentos.
– Mais- ela disse em um gemido sofrido
– Mais o que?- eu prendi o mamilo entre os dentes e passei a língua pelo bico, soltando em seguida só para suga-lo.
– Mais rápido!- ela pediu em meio a gemidos e empurrou se quadril contra o meu.
– Como queira!- eu sorri.
Selei nossos lábios rapidamente e me ajeitei, puxei uma coxa dela erguendo-a de forma que eu consegui ir ainda mais fundo. Eu a penetrava rapidamente e sabia que dessa vez eu não conseguiria parar, era possível ouvir o som de meus quadris se chocando contra os dela, e nossos gemidos em um volume que poderia acordar o andar de baixo. Mordi o lábio ao senti-la chegar ao clímax, ela se contraia em meu membro, o que tornava tudo melhor, seu corpo tremia em espasmos, eu consegui de alguma maneira aumentar a velocidade, ela jogou a cabeça pra trás e gritou meu nome quando chegou ao orgasmo, e então pela primeira vez em minha vida eu gozei exatamente no mesmo momento em que a garota. Ainda movimentei meu quadril mais algumas vezes até que parei exausto. Colei a minha testa a dela e fechei os olhos tentando acalmar os batimentos de meu coração e minha descompassada respiração. Ficamos assim por um tempo, eu saí de dentro dela, tirei a camisinha e amarrei jogando-a no chão, eu simplesmente não conseguia me levantar. Puxei-a para se deitar em meu peito e nos cobri com a coberta que em algum ponto de tudo havia ido parar no chão. Ficamos ali, apenas nos concentrando em nossa respiração por um tempo, eu fazia carinho em seu braço e ela fazia pequenos movimentos circulares em meu peito.
– Harry...- a voz meio mole dela me despertou de meus pensamentos.
– Sim?- eu a olhei mas não encontrei seus olhos.
– Obrigado...- ela disse e ergueu o olhar até mim.
– Obrigado pelo quê anjo? – eu sorri acariciando suas bochechas
– Foi perfeito- ela disse corando.
Eu não sabia o que responder, então beijei seus lábios. Foi um beijo diferente de todos os que trocamos hoje, tentei demonstrar naquele gesto todo o carinho que tinha por ela. Quando separei nossos lábios eu recebi o mais lindo dos sorrisos de presente. Ela bocejou e nós dois rimos.
– Dorme meu anjo- eu depositei um beijo no alto da cabeça e a ajeitei sob meu peito.
Em pouco tempo ela dormia profundamente, e eu percebi quando olhei para seu belo rosto ressonando em meu peito que essa é uma visão que eu adoraria ver todos os dias. E em meio a esses pensamentos eu peguei no sono